Justiça manda remover páginas que veicularam fake news contra Rodrigo Furtado

Vereador diz que notícias falsas atentam contra sua reputação

Por O Dia

Vereador Rodrigo Furtado consegue na Justiça reparação por fake news
Vereador Rodrigo Furtado consegue na Justiça reparação por fake news -
Volta Redonda - O vereador de Volta Redonda, Rodrigo Furtado, acionou a justiça alegando ter sofrido ataques através de ‘fake news’. Segundo o político, se por um lado, conseguiu fazer história ao ser responsável pela primeira cassação de um vereador (Paulinho do Raio-X), por outro, Rodrigo sentiu na pele as consequências pelo trabalho e passou a ser vítima de ataques virtuais que atentaram contra sua reputação.
Enquanto presidia a CPI das injeções, o perfil do Facebook conhecido como Vila Brasília Em Foco não poupou mentiras contra Rodrigo. A mais séria delas, que levou o parlamentar à polícia para registra um Boletim de Ocorrência, foi quando a publicação insinuou que o vereador usava droga nas dependências da Câmara, para ser mais específico: dentro do seu gabinete entre uma sessão e outra.
A denúncia do vereador surtiu efeito e na última terça, dia 06, o juiz da 131ª zona eleitoral de Volta Redonda, Marcelo Dias da Silva, proferiu decisão exigindo que a página Vila Brasília em Foco fosse imediatamente retirada do ar. Além disso, Dudu Magalhães, que é apontado como o administrador da página, foi intimado a prestar esclarecimentos e a provar tudo o que disse contra Rodrigo.
“Fixo prazo de 48 horas para o cumprimento da decisão, fixando multa diária de R$ 1.000,00 (mil reais), limitada a R$ 20.000,00 (vinte mil reais), para o descumprimento. Encaminhem-se o pedido para a Assessoria Especial da Presidência do Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro para cumprimento da decisão”, disse o juiz na decisão.
Além de Dudu e a página Vila Brasília em Foco, outras pessoas envolvidas com fake News contra Rodrigo também foram intimadas pelo juiz Marcelo Dias. Uma delas é a candidata a vereadora Rose Salazar, já conhecida no município pelos vídeos que fez há três anos criticando a prefeitura e pregando que haveria ideologia de gênero dentro das escolas municipais. “A usuária “Rose Salazar”, ao que parece, é candidata a vereador, sendo que suas postagens configuram propaganda eleitoral negativa, posto que não há mera comparação entre o atuar do já vereador Rodrigo e o que a usuária faria, se eleita”, continua a sentença.
Para Rodrigo, a decisão do juiz é um marco em Volta Redonda, que servirá de exemplo para outras cidades.
“As pessoas estão achando que espalhar notícias falsas é brincadeira e que não haverá consequências. Notícias falsas contra políticos, sobretudo as que atacam a honra das pessoas de forma irreparável, agora é crime eleitoral. É importante que as pessoas tenham consciência disso”, comemorou Rodrigo. “Nós temos mães, pais, filhos e conhecidos que recebem as notícias falsas. Isso destrói não só a nossa auto-estima, mas, também, uma carreira construída com base na honestidade, na transparência e, acima de tudo, na legalidade”, completou o vereador.

Comentários