Volta Redonda amplia práticas integrativas oferecidas no município - Divulgação
Volta Redonda amplia práticas integrativas oferecidas no municípioDivulgação
Por O Dia
Publicado 06/11/2020 11:21 | Atualizado 06/11/2020 11:25
Volta Redonda - A partir dessa semana os usuários dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) de Volta Redonda, que têm quadros psíquicos leves a moderados ou graves, passaram a contar com os recursos terapêuticos do Reiki e da Constelação Familiar como forma de ampliar o cuidado na rede pública de Saúde.

As práticas integrativas são recursos terapêuticos seguros, reconhecidos pelo Ministério da Saúde, que complementam o tratamento convencional realizado através do atendimento médico e da utilização de medicamentos, de acordo com a necessidade do paciente.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, os atendimentos são realizados no Espaço de Cuidado em Saúde, que funciona do Estádio Sylvio Raulino de Oliveira. Serão 40 atendimentos por semana, divididos entre o Reiki e a Constelação Familiar. O espaço oferece também consultas médicas individuais em psiquiatria, clínica geral, psicologia, assistência social, enfermagem, além de acupuntura.

A inserção dessas práticas na atenção psicossocial representa possibilidades de novas modalidades de cuidados, trabalhando o campo energético e biomórfico, como a Constelação Familiar, que vem sendo usada até mesmo pelo sistema judiciário. Ela dá possibilidade de ressignificar histórias de vida e traumas. Já o uso do Heiki, que é imposição de mãos e de cristais, trabalha o equilíbrio energético.

Segundo a coordenadora do setor de Saúde Mental de Volta Redonda, Renata Vasquez, em um mundo em que o tratamento de patologias é feito, em sua maioria, através de medicamentos, o uso de terapias alternativas pode ser uma boa opção para pessoas com algum sofrimento psíquico.
“Principalmente com a pandemia, o número de casos de pessoas que desenvolveram algum tipo de transtorno aumentou muito e por isso estamos criando essas alternativas. Acreditamos no tratamento com outros recursos terapêuticos além do medicamentoso”, explicou a coordenadora.

A secretária municipal de Saúde, Flávia Lipke, destaca que a oferta das práticas integrativas é um trabalho que busca a promoção da saúde.
Publicidade
“Essas Práticas Integrativas e Complementares são utilizadas como recursos terapêuticos na rede de saúde, atuando de forma integrada com a medicina convencional, em tratamentos e na prevenção de diversas doenças, desde a depressão até a hipertensão. A maioria dos usuários que recebe o tratamento observa melhoras no quadro geral de saúde, com benefícios para a saúde mental”, disse a secretária.

Os pacientes são agendados com intervalo para que haja higienização das salas e equipamentos. Os consultórios são limpos duas vezes ao dia e as portas, maçanetas, banheiro, cadeira e mesas são higienizados com álcool 70% após cada atendimento. Os pacientes são orientados quanto ao uso obrigatório de máscaras, mantendo distanciamento e todas as orientações pertinentes às medidas de segurança para evitar a propagação da covid-19.