Sindicato diz que crise deve ser agravada em 2018

Por

Os médicos que trabalham no Hospital Municipal Rocha Faria ameaçam entrar em greve devido às péssimas condições de trabalho e do atraso salarial. A informação é do diretor do Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro (Sinmed), Alexandre Telles. Ele anunciou que os profissionais pretendem fazer assembleia para discutir possível paralisação. "A situação lá (Hospital Municipal Rocha Faria) está lastimável", comentou. De acordo com o Sinmed, devido ao contingenciamento de recursos, o Hospital Ronaldo Gazolla, em Acari, fechou o setor de internação e suspendeu cirurgias eletivas.

Para Telles, a crise na saúde deve se agravar em 2018. "O orçamento deve ser menor. Estava estimado R$ 4,9 bilhões, o mesmo de 2016. A prefeitura prometeu acrescentar R$ 500 milhões, mas não é suficiente para manter as unidades". Os médicos dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) farão assembleia quinta-feira sobre possibilidade de greve. A atriz Nanda Costa gravou vídeo essa semana denunciando a falta de verbas para três Caps que atendem dependentes de álcool e drogas. Telles explicou que o contrato das unidades foi encerrado há duas semanas. Em nota, a prefeitura disse informou que todos os 30 centros de atenção psicossocial da rede municipal estão em funcionamento e nenhum serviço foi suspenso. "A Secretaria de Saúde está tomando medidas para ajustar a execução orçamentária à situação atual de crise financeira".

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários