Rampa de voo livre da Serra do Vulcão, Poço da Cobras e cachoeira Véu da Noiva, no Parque Municipal, são pouco conhecidos por moradores da região - FOTOS DIVULGAÇÃO/PMNI
Rampa de voo livre da Serra do Vulcão, Poço da Cobras e cachoeira Véu da Noiva, no Parque Municipal, são pouco conhecidos por moradores da regiãoFOTOS DIVULGAÇÃO/PMNI
Por Aline Cavalcante

Com 807.492 habitantes, o quarto município mais populoso do Rio, de acordo com o último censo do IBGE, que também possui baixo Índice de Desenvolvimento Humano Municipal, esconde diversas belezas naturais. Prestes a completar 185 anos, comemorado amanhã, Nova Iguaçu quer explorar mais os locais como atrações turísticas e, para promovê-las, a prefeitura indicou os pontos mais atrativos.

"Temos locais incríveis, de natureza belíssima bem pertinho de nós, mas muitos moradores daqui nem conhecem ou sabem que existe. Queremos mudar isso e este ano vamos trabalhar nisso, em apresentar a cidade para o iguaçuano. Vamos desmistificar o rótulo negativo que a Baixada no geral tem", declarou o secretário de Meio Ambiente e Turismo, Fernando Cid.

O Parque Natural Municipal ainda é pouco explorado. Um dos atrativos mais belo é o Caminho das Águas, que segue o curso d'água do rio Dona Eugênia, passando pela represa, diversos poços, algumas construções históricas, como o Casarão da Fazenda Dona Eugênia e, por fim, a cachoeira Véu de Noiva. O local tem fácil acesso pela Estrada da Cachoeira, ao longo do Rio Dona Eugênia, em Mesquita. Um ponto de referência para chegar lá é partindo da estação de trem Presidente Juscelino.

Criado em 1998, o parque tem cerca de 1,1 mil hectares, é composto de 14 lagos naturais, cachoeira com queda d'água de 52 metros e 13 trilhas ecológicas. O poço mais frequentado é o das Cobras. No local há uma grande cachoeira de quase 6 metros de altura em uma espaçosa piscina natural.

A cachoeira Véu da Noiva é uma das mais bonitas. É a maior queda d'água do parque, com 55 metros de altura, um dos principais atrativos do roteiro do Caminho das Águas pela extensão do rio Dona Eugênia.

ESPORTE RADICAL

Para quem gosta de esportes radicais, há grampos fixados na cachoeira para prática de rapel, porém é necessário solicitar autorização na administração do parque para a prática. A área fica aberta ao público de terça-feira a domingo, das 8h às 16h. É possível agendar visitas guiadas em grupo gratuitamente pelo e-mail: [email protected]

Para quem curte um pouco mais de emoção e aventura, o roteiro indicado é a rampa de voo livre. Trata-se de uma caminhada de nível difícil, com média de 3 horas para chegar até o ponto mais alto. A rampa fica a 780 metros de altitude e é considerada o segundo melhor ponto do país e o melhor no estado para a prática desse esporte.

"Este local virou referência. Tem térmicas fortes, o voo seguro e tem ótima alternativa para condições de vento norte. A Serra do Vulcão, em Nova Iguaçu, também é referência de voo livre no estado do Rio", disse Afonso Urbieta, 65, fundador da rampa da Serra do Vulcão.

Lá do alto da serra é possível ter uma visão panorâmica do município, com vista até para Serra de Tinguá. Pouco conhecido, o local tem esse nome porque abriga um vulcão extinto há 40 milhões de anos.

Você pode gostar
Comentários