Índice de violência registra queda

Números revelam que roubos caíram, mas sensação ainda é de insegurança

Por O Dia

Roubos de celulares é um dos tipos de crime que tiveram redução
Roubos de celulares é um dos tipos de crime que tiveram redução - Reprodução de internet

Os roubos de rua (soma de roubo a transeunte, roubo de aparelho celular e roubo em coletivo) no estado caíram nos últimos três meses de 2017 em relação ao ano anterior, puxados principalmente pela queda destes crimes na Baixada Fluminense. É o que revelou os dados divulgados pelo ISP esta semana.

Em dezembro de 2017 foram registrados 1.279 roubos a menos, uma redução de 11,8%, em relação ao mesmo mês de 2016. Na área do 20º BPM (Nova Iguaçu, Mesquita e Nilópolis) foram cerca de 470 roubos a menos nessas áreas, o que representa 46% da redução total.

A matemática, porém, não alivia o sentimento das vítimas da violência, que carregam o medo após o trauma de um assalto. "Em menos de três meses fui assaltada duas vezes. A sensação é de medo, não estamos seguros em lugar nenhum", diz Gabrielle Barcelos, moradora de Nova Iguaçu.

Apesar dos índices terem baixado há ainda uma grande sensação de insegurança. "Os números reduziram, mas a violência ainda é grande, por isso esta sensação. Este é um desafio que estamos longe de alcançar ainda", afirma o especialista em segurança, Paulo Storani.

roubo de carga

O indicador de roubo de carga ficou abaixo do registrado em 2016 pelo quarto mês seguido. Em dezembro de 2017 foram registradas 79 registros a menos em relação ao mesmo período do ano anterior nas áreas de Mesquita, Nova Iguaçu e Nilópolis.

Em Queimados também houve diminuição de 4% no total de roubos e 13% no número de furtos. O índice de roubos a transeuntes e a coletivos também caíram 28% e 23%, respectivamente.

Comentários