Greve de policiais mascara estatísticas

Índices de criminalidade divulgados mensalmente pelo ISP são prejudicados por falta de registros em delegacias

Por O Dia

Rio - Por conta da greve da Polícia Civil que já dura 37 dias houve subnotificação no registro de roubos de rua em janeiro deste ano no Estado do Rio. O índice foi 28% menor do que no mesmo período de 2016. O próprio Instituto de Segurança Pública (ISP), que divulga mensalmente as estatísticas de criminalidade, fez uma ressalva, ao anunciar os dados ontem. “Devido ao anúncio feito por entidades de classe da Polícia Civil, de paralisação parcial de algumas atividades, houve uma atípica subnotificação de determinados delitos. Por isso, não é possível fazer comparações temporais para alguns delitos com base nos dados de janeiro”, informou, em nota.

Cartaz em delegacia oferecia computador para vítimas registraremDivulgação

Em janeiro houve aumento de 85% nas mortes em confronto com a polícia — 98 contra 53 no mesmo período anterior de 2016. De acordo com o relatório, uma pessoa foi morta a cada oito horas pela Polícia Civil ou Militar no estado. Homicídios também aumentaram: alta de 17,2%. Também houve aumento de 25,3% no total da letalidade violenta em relação a janeiro de 2016.

Para o especialista em Segurança do Viva Rio, Ubiratan Angelo, a crise nas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) ajuda a explicar os índices crescentes de criminalidade. “Há mais confrontos em áreas com UPPs devido à crise no programa, que acompanha a crise estadual. Com mais confrontos nessas regiões há mais mortes”.

Ele também avaliou como negativo o aumento de 34% na recuperação de veículos no período. “Não é necessariamente algo positivo. Isso porque criminosos roubam veículos para transportar armas e drogas, mais do que o intuito de desmanches. Assim, a recuperação torna-se maior também”.

Ontem, os policiais civis fizeram uma paralisação de 24 horas, atendendo somente casos como remoção de cadáveres, registrando homicídios e prisões em flagrante. Na 17ªDP (São Cristóvão), o registro de roubos de rua era feito somente na internet. Na 5ª DP (Mem de Sá), um computador foi disponibilizado para o público. Um cartaz dizia: “Este terminal está à disposição do público para confecção de Registro de Ocorrência Online”.

Em nota, a Polícia Civil informou que o registro online irá funcionar durante o Carnaval. “As unidades estão atendendo às emergências e casos complexos normalmente. Em relação às demais ocorrências cada unidade está operando normalmente ou com restrição de serviços. Os registros de ocorrência alcançados pela paralisação continuam podendo ser feitos normalmente pela população através da Delegacia Online, que segue em pleno funcionamento”.

Últimas de Rio De Janeiro