Celulares da Xiaomi podem ficar mais caros em 2021

Opção por processadores potentes deve impactar tops de linha

Por Marco Sá

Snapdragon 875 é mais caro
Snapdragon 875 é mais caro -
Uma das líderes de venda no Brasil, a chinesa Xiaomi pode ter que ofertar aparelhos com valores mais elevados que os habituais a partir do ano que vem. Isso se deve à encomenda dos processadores Qualcomm Snapdragon 875, considerados dos mais avançados do mercado.

Trazendo o sistema Super-Core Cortex-X1, a linha da Snapdragon oferece desempenho 30% superior e custará cerca de US$ 250. Esse valor é superior à linha atual em cerca de US$ 100, o que deve impactar diretamente no preço final dos smartphones mais avançados.

A estimativa é que os novos valores influenciem, principalmente, nos sucessores das linhas Mi 10 e Black Shark 3 Pro. A subsidiária Redmi, que costuma entregar aparelhos mais em conta e, ainda assim, tops de linha, tem usado opções de processamento da MediaTek, mais baratos.

Comentários