Coisas do Rio
Coluna
Coisas do Rio
Thiago Gomide - thigomide@gmail.com

Qual objeto conta a sua história?

Livro revela a trajetória do Rio de Janeiro através de objetos: o leitor encontra de roleta de jogo do bicho a imagem de São Sebastião

Por Thiago Gomide

Os óculos de Machado de Assis contam parte da história do Rio de Janeiro
Os óculos de Machado de Assis contam parte da história do Rio de Janeiro -
Pense no Machado de Assis.
Provavelmente veio a sua mente outras fotos dele, além da que estampa a coluna, portando o “pince-nez”,  também chamado de “óculos de idade”.
A partir de 45 objetos, tal qual esse do nosso escritor maior, estudiosos da história do Rio de Janeiro e de nossos personagens reconstroem fatos importantes para entender os passos da cidade.
Na minha opinião, um dos mais saborosos textos é sobre Marc Ferrez e sua inseparável câmera fotográfica, que compõe o acervo do Instituto Moreira Salles, na Gávea.
Quem assina o capítulo é Maria Inez Turazzi, pesquisadora associada do Departamento de História e Labhoi/UFF.
Ferrez, como sabemos, foi um dos grandes responsáveis pelos registros da virada do século XIX para o século XX. Muito do que temos de memória visual dessa época é fruto do trabalho desse fotógrafo.
Maria Inez Turazzi vai mais longe:
“... as imagens de Ferrez são interpretações pessoais do cenário monumental do Rio de Janeiro que ajudaram a construir a identidade estética de um território simbólico: a “paisagem carioca”.
As fotos de Ferrez, com também a câmera exposta no livro, ajudaram a vender o deslumbre de um território que une mar, mata, montanha e ainda assim é habitável.
Habitável e cheio de apontadores de jogo do bicho.
Hoje, em muitas esquinas, é possível encontrar um cidadão promovendo a aposta.
Antigamente, havia um outro método de fazer fé nos vinte e cinco bichinhos. Uma roleta. Parecida com aquelas de cassino.
“Confeccionada a partir de material relativamente barato e de fácil acesso, não se trata de um objeto feito no fundo do quintal, mas também não é fruto da produção de massa (...)”, escreveu a phD pela Universidade de Yale Amy Chazkel.
A relíquia está no Museu da Polícia Civil.
Há ainda Espada de Gomes Freire, Traves da forca de Tiradentes, Leque comemorativo do aniversário de D. João VI, Saia de Carmem Miranda, A bola do milésimo gol do Pelé e até Boneca Barbie e seus amigos no Rio.
“História do Rio de Janeiro em 45 objetos” saiu pela editora da Fundação Getúlio Vargas.

Comentários