Coisas do Rio
Coluna
Coisas do Rio
Thiago Gomide - thigomide@gmail.com

Emocionante: educadores gravam vídeos e áudios para seus alunos

Para ajudar a diminuir a distância e contribuir para o desenvolvimento dos estudantes, diversos profissionais da educação estão gravando conteúdos especiais e postando nas redes

Por Thiago Gomide

Professora Lívia Gabriela, da Creche Municipal Professora Jurema Gomes Sampaio, em Costa Barros, gravou uma atividade para os alunos da educação infantil
Professora Lívia Gabriela, da Creche Municipal Professora Jurema Gomes Sampaio, em Costa Barros, gravou uma atividade para os alunos da educação infantil -
Como sabemos, todos os estudantes estão longe das escolas por causa do coronavírus. Essa medida de proteção vai, inicialmente, até o dia 30 de março.
Só na rede pública municipal são 650 mil alunos e alunas que se dividem desde a creche até os últimos anos do ensino fundamental.
As idades variam. Ainda mais quando pensamos que há cerca de 40 mil estudantes na EJA, "Educação de Jovens e Adultos".
Apesar de já ter sido falado que a programação do calendário não vai ser abalada, como levar aos alunos conteúdos pertinentes ao currículo escolar ou até mesmo palavras de conforto em um instante tão delicado?
Um movimento está atraindo diversos professores e professoras da rede pública municipal.
Munidos de celular e extrema disposição, essa turma está gravando pílulas do conhecimento, dinâmicas para serem feitas pelos responsáveis com a meninada da educação infantil, exercícios para colaborar com a alfabetização, respondendo perguntas, ofertando reflexões sobre temas de suas disciplinas e por aí segue.
Têm vídeos bem editados, têm vídeos hiper caseiros. Têm vídeos curtos, têm vídeos com mais de 15 minutos. Têm podcasts elaborados e áudio do zap mesmo. Tudo claramente desenhado com carinho.  
A #compartilheumaaula está sendo usada. 
Isso é educação a distância? Não. Isso substitui as aulas? Evidente que não.
Mas em um momento tão delicado, em especial para aqueles mais vulneráveis, nada melhor que se sentir abraçado, assistido, valorizado.
Vale tanto para os estudantes como para a toda a família.
A escola tem um poder enorme de transformação e isso passa inevitavelmente pelos profissionais da educação.
Tá complicado, a chance de piora é grande, mas assim fica mais leve. Boa ideia! 
 

Comentários