Coisas do Rio
Coluna
Coisas do Rio
Thiago Gomide - thigomide@gmail.com

Presidente do Brasil quase foi morto no Copacabana Palace

Após 96 anos, o famoso Hotel Copacabana Palace foi obrigado a fechar as portas por causa do coronavírus; coluna lembra fato que aconteceu com o Presidente Washington Luís

Por Thiago Gomide

Hotel Copacabana Palace
Hotel Copacabana Palace -
Washington Luís, apesar de ter nascido em Macaé, ganhou fama e poder político no estado de São Paulo.

Foi Vereador, Deputado federal, Prefeito da capital, Senador, hoje um cargo que se assemelha a Governador de estado, e enfim Presidente do Brasil.

Fez parte do período conhecido como café com leite, que nada mais é que um acerto entre Minas Gerais e São Paulo para um revezamento de quem escolhia quem mandava no país. Um mandato era de Minas. Outro de São Paulo.

Washington Luís era de São Paulo e assumiu o cargo mais alto da república em 1926.

Era bonitão, amava cantar umas marchinhas, frequentava bailes carnavalescos, adorava usar cartolas, ternos bem cortados, coisa chique...até arriscava soltar o gogó em óperas. Pouca coisa não.

Por essas e outras era chamado de rei da fuzarca. Bem, fuzarca é o mesmo que farra. O rei da farra.

Casado com Sofia Paes de Barros, filha de um poderoso político do interior de São Paulo, o Barão de Piracicaba, Washington Luís era apoiado pelos conservadores e por muitos religiosos.

Ué, rei da fuzarca apoiado por conservadores e religiosos? O Brasil não é para amadores, meu bem.

Em 23 de maio de 1928, Washington Luís entrou no luxuosíssimo Copacabana Palace para encontrar sua amante, uma marquesa italiana de 28 anos recém- desquitada do marido.

Depois de um jantar bacana, com champanhe, aconteceu um atentado. No quarto. Elvira Vishi Maurich sacou uma pistola e deu um tiro no Presidente do Brasil.

Ainda bem que era ruim de mira ou a arma não era potente. O motivo até hoje especulado foi ciúmes.

Ferido, Washington Luís foi socorrido pelo dono do Hotel, Octávio Guinle. Tudo na maior descrição. Um médico da família foi chamado às pressas.

O político foi levado para a Casa de Saúde Pedro Ernesto e foi operado.

Para a imprensa e para a população, a internação e a operação foram por causa de uma crise de apendicite.

Elvira, quatro dias depois do atentado, se jogou da janela do quarto andar. Especula-se que foi pressionada. Na versão oficial entrou suicídio.

A vida e o mandato de Washington Luís ainda teriam fortes emoções.

Em 1929, encararia a quebra da bolsa de Nova York, trazendo consequências terríveis econômicas ao Brasil. Depois tentou furar aquela ideia de uma vez São Paulo mandava, outra Minas mandava. Além disso ignorou os pedidos das oligarquias cafeeiras.

Tá bom ou quer mais?

Foi traído politicamente.

Promovido a Ministro da Fazenda em 1926, o Deputado federal gaúcho Getúlio Vargas lideraria um golpe contra Washington Luís em 1930.

Washington Luís teve que renunciar. Bateu perna, mas não teve jeito. Ou seria isso ou muito provavelmente a morte.

Ficou exilado na Europa. Sem sorte, ainda viu nascer a Segunda Guerra Mundial. Acabou tendo que se mandar para os Estados Unidos. Só voltou ao Brasil em 1947, quando Getúlio saiu do poder.

Aos 87 anos faleceu em São Paulo, recluso, em 1957.

Comentários