Coisas do Rio
Coluna
Coisas do Rio
Thiago Gomide - thigomide@gmail.com

Flordelis e a intolerância religiosa

O terrível caso envolvendo a pastora deixa transparecer também uma velha raiz brasileira: a intolerância religiosa

Por Thiago Gomide

Flordelis e o pastor Anderson do Carmo
Flordelis e o pastor Anderson do Carmo -
A casa da mãe de santo Hilária Batista de Almeida, na pequena África, perto do Cais do Valongo, foi molestada dezenas de vezes pela polícia. A lendária tia Ciata foi julgada por parte da imprensa, inclusive pelo famoso cronista João do Rio.

Mais de 100 anos se passaram e marcas dos murros continuam.

Não é nada complicado encontrar terreiros destruídos, seguidores de religiões de matriz africana agredidos e até expulsos de determinadas favelas. Andar de branco é perigoso em vários lugares do Rio de Janeiro.

As pedras da intolerância atravessam as vidraças de uma religião nascida na França, mas com tons populares especialmente de Minas Gerais. A ciência do espiritismo não foi suficiente para afastar os maus espíritos.

Bezerra de Menezes e Chico Xavier, só para dar dois exemplos, cansaram de ser ofendidos. Do Chico, em especial, debochavam até da peruca.

Quando João de Deus foi preso, choveu uma sequência de memes promovendo ilações. Era como se todos os médiuns fossem falsos. O preconceito travestido de humor, conhece?

Após a escola, eu e meus amigos íamos ao Aterro do Flamengo bater uma bolinha. Esse fato virou uma tradição até mesmo após entrarmos em universidades distintas, com novos amigos de caminhadas diferentes.

Certa vez, Diogo levou um colega de classe. Muçulmano e seguidor dos dogmas religiosos. Logo de cara aconteceu um imprevisto. Não haveria chance dele jogar no time sem camisa. Com, se recusava. Alguns reclamaram. Outros disseram que ele estava no Brasil.

Na hora de virar à Meca, o rapaz abandonou a zaga. A zoação aumentou. Se tornou insustentável.

Bem perto do Aterro está o Palácio do Catete, lugar onde o presidente Getúlio Vargas tirou a própria vida, em 1954.

Já com a Segunda Guerra em curso e com informações sobre as ideias Hitleristas, Getúlio flertou com o nazismo. O Brasil flertou com o nazismo. Judeus eram perseguidos e xingados nas ruas.

Em alguns fóruns espalhados pela internet, há ainda a diminuição da fé judaica e até o negacionismo ao Holocausto.

Em 1995, uma cena chocaria os católicos: na televisão, um pastor chutava repetidamente a estátua de Nossa Senhora Aparecida. Em 2017, em Niterói, imagens de santos foram brutalmente quebradas na Catedral de São João Batista. Cenas como essa podem ser vistas em vários canais do youtube - com certo orgulho.

Hollywood que observe Flordelis. A história envolve tantas tramas, reviravoltas, obviedades e mistérios, que parece estarmos diante de um best-seller da inglesa Ágatha Christie ou do americano Stephen King - com fartas pitadas do brasileirissímo Plínio Marcos, evidentemente. Why not?

A toda hora aparece algo novo e chocante.

A todo minuto algumas pessoas usam essa tragédia para correlacionar a escolha religiosa da cantora às decisões tomadas. É a intolerância religiosa em uma camisa passada de indignação.

A deputada federal Flordelis, João de Deus (tsc), o bispo que chutou a Santa ou o católico que xingou o judeu são partes de um universo gigantesco e plural.
Tratar as exceções como regra sempre se mostrou uma ação, digamos, no mínimo míope. 

Uma das obras primas do italiano Leonardo da Vinci está na Catedral de Milão, na Itália. Na Santa Ceia, Jesus está ao centro da mesa, cercado pelo doze discípulos.

Distante, podem parecer companheiros.

Pois é, o final da história você sabe.

Galeria de Fotos

Flordelis e o pastor Anderson do Carmo Arquivo Pessoal
Fotos de Flordelis sem peruca viralizam nas redes sociais Reprodução
O filme da deputada Flordelis está um tanto queimado, após ela ser acusada de matar oi próprio marido, contrariando os princípios de Deus Reprodução
Antonio Ricardo (chefe das DHs) e o delegado Allan Duarte Cléber Mendes
Filhos da deputada foram presos durante operação da Polícia Civil. Investigações apontam que parlamentar é mentora do crime Anderson Justino / Agência O DIA
Acusada de mandar matar o marido, Flordelis pode perder mandato Divulgação / Câmara dos Deputados
Deputada, que sempre posava com Anderson, jura inocência Reprodução redes sociais

Comentários