Desbravando
Coluna
Desbravando
Karilayn Areias

Ministério do Turismo apoia ação 'Não cancele, adie' para minimizar prejuízos causados pelo coronavírus

Turismo no Brasil perdeu R$ 2,2 bilhões somente nesta primeira quinzena de março

Por KARILAYN AREIAS

De acordo com um estudo da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o turismo no Brasil perdeu R$ 2,2 bilhões somente nessa primeira quinzena de março, sendo que o Rio de Janeiro teve prejuízo de R$ 700 milhões
De acordo com um estudo da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o turismo no Brasil perdeu R$ 2,2 bilhões somente nessa primeira quinzena de março, sendo que o Rio de Janeiro teve prejuízo de R$ 700 milhões -
O Ministério do Turismo apoiou a campanha para minimizar os prejuízos causados pela pandemia do coronavírus. Aconselhadas a não circular por conta do risco de contaminação, muitas pessoas que estavam com a viagem marcada estão cancelando seus pacotes. Preocupados com recessão, o órgão fez uma publicação nas redes sociais pedindo para os viajantes não cancelarem a viagem, e sim, adiarem para quando a situação se normalizar.
"Em tempos de coronavírus e incertezas sobre a pandemia que nos afeta, reafirmamos nosso apoio ao setor turístico. Todos os cuidados necessários devem ser tomados para conter o COVID-19. Muitos empregos e famílias dependem da indústria do #turismo. Por isso, vamos passar juntos por esse momento difícil. Entre em contato com a sua agência aérea ou de viagem, seu meio de hospedagem, seu profissional do turismo contratado previamente e adie sua viagem. #NãoCanceleRemarque", diz a postagem.
De acordo com um estudo da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), divulgado nesta quarta-feira (18), o turismo no Brasil perdeu R$ 2,2 bilhões somente nessa primeira quinzena de março, sendo que o Rio de Janeiro teve prejuízo de R$ 700 milhões. 
O que as empresas estão propondo? Confira!
Latam
Reduziu as operações em 70% e está oferecendo a remarcação de passagens, adquiridas a partir de 16 de março, até o dia 31 de dezembro de 2020.
Gol
É possível cancelar a viagem e manter o valor em crédito para voos futuros. Segundo a cia aérea, o valor estará disponível integralmente por um ano, a contar da data da compra. Também é possível remarcar a viagem para qualquer período dentro de 330 dias, a contar da data da compra. A taxa de remarcação não será cobrada, incidindo apenas a diferença entre as tarifas, se houver.
Azul
De acordo com a companhia, os consumidores poderão alterar as datas da viagem sem custo ou solicitar o cancelamento, deixando o valor como crédito. 

Airbnb
Oferece reembolsos integrais aos hóspedes e cancelamentos sem custos para os anfitriões por reservas feitas até 14 de março com data de check-in em 14 de abril ou antes.

Comentários