Galileias do tempo

A Galileia se torna o lugar simbólico devido à abertura a todos os povos e se assemelha ao mundo de hoje, com a presença de diversas culturas

Por O Dia

É intrigante como os textos bíblicos se fazem atuais e direcionam o nosso modo de viver e agir. O Evangelho deste domingo narra o início da vida pública de Jesus na Galileia. A sua missão não começa em Jerusalém, ou seja, no centro religioso, social e político, mas em uma zona periférica. E isso já nos revela muita coisa.

É uma terra de fronteira, onde se encontram pessoas de diferentes raças, culturas e religiões. A Galileia se torna o lugar simbólico devido à abertura a todos os povos. Sob este aspecto, se assemelha ao mundo de hoje, com a presença de diversas culturas.

Mas Jesus ensina que a Boa Nova, não está reservada a uma parte da humanidade, deve ser comunicada a todos. É um feliz anúncio destinado a quantos o esperam, mas também àqueles que não esperam mais nada, nem têm a força para procurar e perguntar.

Partindo da Galileia, Jesus ensina que ninguém está excluído da salvação de Deus, que Deus prefere partir da periferia para alcançar a todos. Jesus começa sua missão não só por um lugar descentralizado, mas por homens simples. Para escolher seus discípulos e futuros apóstolos, não se dirige às escolas dos doutores, mas às pessoas humildes.

Hoje, o Senhor também nos chama! Passa pelas estradas da vida. Chama para andar com Ele, para trabalhar pelo Reino de Deus, nas 'Galileias' do nosso tempo. Deixemo-nos alcançar pelo seu olhar, sua voz, e sigamos para que a alegria do Evangelho chegue a todos e nenhuma periferia seja privada da sua luz.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários