Prefeitura do Rio planeja, mas ainda não garante reajuste

Concessão de aumento salarial para servidores ainda é incerto

Por PALOMA SAVEDRA

-

Rio - O plano da Prefeitura do Rio para conceder reajuste salarial aos servidores na folha de janeiro está incerto. Integrantes do governo dizem que "não há previsão" ainda sobre o aumento. Como a recomposição será referente ao acumulado de 2017 e 2018, o índice será acima de 8%.

Conforme a Coluna informou em 11 de dezembro, a equipe do município focou no pagamento do décimo terceiro salário de 2018, cuja segunda parcela saiu só no dia 20 de dezembro. Na ocasião, o secretário da Casa Civil, Paulo Messina, confirmou que a prefeitura planejava reajustar as remunerações dos servidores ativos, aposentados e pensionistas e fevereiro ou seja, na folha de janeiro. Apesar disso, não cravou que a medida ocorreria.

Para o projeto sair do papel, primeiro será necessário analisar o resultado da arrecadação e das iniciativas que foram feitas para aumentar a receita. Mas a reposição ser concedida este ano é tido como certo, até porque o orçamento de 2019 destina receita maior para cobrir essa despesa decorrente do aumento.

A correção salarial é reivindicação recorrente dos servidores municipais, que, antes da gestão de Crivella, recebiam todo ano. Lei municipal publicada em 2001 pelo então prefeito Cesar Maia prevê revisão geral anual da remuneração dos servidores utilizando como índice o IPCA-E, apurado até o mês anterior à concessão do reajuste.

A lei, porém, faz a ressalva de que a reposição poderá ser efetuada "tão logo o Poder Executivo verifique que o comportamento da receita é capaz de suportar o aumento da despesa dele decorrente".

'Herança maldita'

Às categorias, o governo Crivella alega, a todo tempo, falta de condições para bancar o aumento. Para alguns servidores e também para vereadores, os integrantes do Executivo vêm afirmando que o ano de 2019 será melhor, e batem na tecla da "herança maldita" - segundo eles, dívidas e caixa vazio deixado pelo ex-prefeito Eduardo Paes.

Se o aumento não for aplicado sobre as remunerações nos próximos meses, os servidores prometem mobilizações.

Salário na conta

O pagamento do salário de dezembro do funcionalismo municipal do Rio será feito amanhã, que é o quinto dia útil do mês seguinte ao trabalhado. A prefeitura declarou que mantém a política de antecipação, mas nos bastidores a informação é de que, desta vez, não ocorrerá. Os servidores vêm pleiteando a retomada do calendário antigo de depósitos, quando o prazo para quitar os vencimentos era o 2º dia útil.

Mudanças no Estado esta semana

Saem nesta semana as definições da nova estrutura do governo estadual, como a Coluna informou na edição da última sexta-feira. A ideia é implementar mudanças nos cargos em comissão e padronizar as funções em todas as secretarias, unificando o 'formato'. Isso também faz parte do programa de corte de 30% de despesas. Então, segundo alguns secretários, pode-se esperar que ocorram mais exonerações.

Comentários

Últimas de Servidor