Sindicato enviou ofício à administração do TRT 1pedindo que reveja a decisão
Sindicato enviou ofício à administração do TRT 1pedindo que reveja a decisãoReprodução Google
Por O Dia
O retorno ao atendimento presencial, de audiências híbridas e do cumprimento de mandados no dia 15 de março, como prevê ato da Administração do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região, está gerando controvérsias entre os servidores do TRT 1.
Em nota, o Sindicato dos Servidores das Justiças Federais no Rio (Sisejufe) declarou que a medida é preocupante neste momento de recrudescimento da pandemia. E enviou ofício à presidência do órgão solicitando que reveja a determinação. 
Publicidade
"Os números cada vez piores da pandemia no país e no Estado do Rio de Janeiro apontam para a necessidade de se impor medidas mais restritivas a fim de se evitar o crescimento de internações e de mortes. Entretanto, na contramão do que dizem as autoridades de saúde, do posicionamento do próprio TRT da 1ª Região até então, e do que está ocorrendo em outros Regionais, a Administração expediu o Ato Conjunto 5/2021", afirmou a entidade.
O ato em questão estabelece o dia 15 de março como data de início da fase 2, com previsão de retorno de atendimento presencial, audiências híbridas, ampliação no cumprimento de mandados presenciais e obrigatoriedade de comparecimento de ao menos 1 servidor por setor. 
Publicidade
Para o sindicato, a publicação "é inoportuna", ressaltando que, na quinta-feira, a Prefeitura do Rio de Janeiro publicou decreto aumentando as restrições para minimizar a difusão da covid-19.
"O esforço e a dedicação dos servidores não pode ser 'recompensado' com a sua exposição a um risco ainda maior", finalizou.