Ciro diz que Haddad vai manter PEC do Teto e reitera que vai revogá-la

Durante reunião em São Paulo, candidato do PDT critica Fernando Haddad

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Candidato do PDT, Ciro Gomes
Candidato do PDT, Ciro Gomes -

São Paulo - O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, reiterou nesta terça-feira, 18, a promessa de revogar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 95, também conhecida como PEC do Teto de Gastos, e aproveitou para criticar seu adversário, Fernando Haddad (PT).

"Fiquei muito constrangido ontem com o Haddad, que anunciou que vai manter a PEC 95 e excluir só o investimento. Só que, no código de contabilidade brasileiro, o financiamento em Pesquisa e Desenvolvimento não é investimento, é custeio", exemplificou o candidato do PDT. "Aí vem dizer que a prioridade é C&T (ciência e tecnologia), que o PT é o rei do abacaterol, não é não, é mentira."

Ciro, que se reuniu com a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) nesta terça-feira, reclamou ainda de, na sua opinião, ter ficado com o ônus de defender os avanços da pauta conservadora, enquanto Haddad começa a fazer um novo aceno à centro-direita. "Aí fico eu sozinho pagando o desgaste de ter que reclamar contra militar, de reclamar contra banqueiro e, nas minhas costas, aproveitando que eu sou progressista, eles tentam me obrigar a engolir essas coisas? Isso não vai acontecer mais "

Segundo ele, os candidatos precisam criar um ambiente para revogar a regra do teto. Caso contrário, não será possível cumprir com as promessas feitas pelos presidenciáveis em suas campanhas. "A tarefa não pode ser só minha. Ou a gente cria um ambiente para revogar a PEC 95 ou todos os programas, meus e de meus adversários, são mentira."

Segundo a Coluna do Estadão, Haddad se movimenta para acenar ao eleitorado do PSDB nessa reta final do primeiro turno. Ele próprio tocou no assunto na segunda-feira. "Tem muitas pessoas que apoiaram o golpe e estão revendo sua posição. O próprio PSDB já fez uma autocrítica. Isso constrói possibilidades de diálogo", disse Haddad na segunda, se referindo à entrevista de Tasso Jereissati ao jornal O Estado de S. Paulo na semana passada.