Mais Lidas

Término da apuração de eleições ainda depende de uma seção

Segundo informação do site do TSE, mesmo após da definição dos resultados, uma seção ainda não foi apurada

Por ESTADÃO CONTEÚDO

Urna eletrônica
Urna eletrônica -

São Paulo - Mais de 24 horas depois de fechada a última urna eletrônica, no Acre, às 19h de domingo, pelo horário de Brasília, a apuração dos votos ainda não foi concluída no Brasil. E por apenas uma seção, segundo informação do site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Portanto, mesmo que a definição dos candidatos à Presidência que irão disputar o segundo turno tenha, matematicamente, ocorrido ontem mesmo, poucas horas após o fim do pleito, e que não seja mais possível nenhuma troca de posição entre todos os concorrentes, os números ainda não são definitivos.

Com 459.489 seções eleitorais do País apuradas, os candidatos do PSL, Jair Bolsonaro, com 46,03% dos votos válidos, e do PT, Fernando Haddad, com 29,28% dos votos, foram os dois mais bem colocados na corrida, conforme os números da apuração dos votos atualizados até agora. Em números absolutos, Bolsonaro teve 49 276.897 votos e Haddad, 31.341.997.

Em terceiro lugar, ficou Ciro Gomes (PDT), com 12,47% dos votos e Geraldo Alckmin (PSDB) ficou em quarto, com 4,76%. João Amoedo (Novo) obteve 2,50% e Cabo Daciolo (Patriota), 1,26%. Na sequência, Henrique Meirelles (PMDB) teve 1,20%; Marina Silva, 1,00%; e Álvaro Dias (Podemos) tinha 0,80%. Guilherme Boulos (PSOL) aparecia com 0,58%. Vera Lúcia (PSTU), Eymael (DC) e João Goulart Filho (PPL) registraram 0,05%, 0,04% e 0,03%, respectivamente.

Todos os porcentuais acima se referem aos votos válidos. Os votos em branco representaram 2,65% do total e nulos, 6,14%. Abstenções foram 20,33% do total - em números absolutos, atingiu 29.940.621. Do total de 147.306.295 eleitores aptos a votar, 117 364.414 (79,67%) compareceram.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia