Paes ataca Witzel e diz que Rio não pode ter um 'Crivella mais arrogante'

Candidato do DEM ao Governo do Rio visitou o Hospital da Mulher, na Baixada Fluminense, na manhã desta quarta-feira

Por CÁSSIO BRUNO

Eduardo Paes
Eduardo Paes -

Rio - O candidato ao Governo do Rio pelo DEM, Eduardo Paes, partiu para o ataque contra o seu adversário Wilson Witzel (PSC) na manhã desta quarta-feira, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Em visita ao Hospital da Mulher, Paes afirmou que o estado não pode eleger um "Crivella mais arrogante". Segundo o ex-prefeito do Rio, Witzel é inexperiente e não pode administrar "segurando uma bengala", referindo-se ao apoio que o ex-juiz federal tem da família Bolsonaro.

"Ao sentar na cadeira de governador, terá de tomar decisões, enfrentar o crime organizado. Tem que cuidar da Saúde. A gente não pode ter um Crivella mais arrogante no Governo. Estamos vendo o que significa isso na Prefeitura do Rio", disse Paes.

No entanto, Eduardo Paes evitou atacar o presidenciável Jair Bolsonaro. O ex-prefeito, que no primeiro turno foi apoiado por 11 partidos, afirmou que a maioria dos seus aliados vota em Bolsonaro. Paes voltou a dizer que ficará neutro na disputa presidencial. "O Bolsonaro sempre aceitou o debate. Jamais com jeito arrogante", declarou. 

Galeria de Fotos

Eduardo Paes visitou o Hospital da Mulher, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense Estefan Radovicz / Agência O DIA
Eduardo Paes visitou o Hospital da Mulher, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense Estefan Radovicz / Agência O DIA
Eduardo Paes segura no colo a pequena Talita Souza da Silva, ao lado pai da menina, Marcelo Santos da Silva, no Hospital da Mulher, em São João de Meriti, na Baixada Fluminense Estefan Radovicz / Agência O DIA

O ataque de Eduardo Paes ocorre no dia seguinte em que Wilson Witzel afirmou nas redes sociais que daria voz de prisão a ele caso Paes fizesse acusações caluniosas nos debates. O ex-juiz atribuiu a Paes a divulgação de notícias falsas na internet sobre ele, o que ex-prefeito nega.

Durante a visita ao hospital, Eduardo Paes em diversos momentos na entrevista ironizou o adversário. Sempre quando se referiu a Witzel pronunciou de forma errada o sobrenome do ex-magistrado dando a entender que ele era até então desconhecido na disputa para o Palácio Guanabara.

O Hospital da Mulher foi inaugurado em 8 de março de 2010 pelo ex-governado Sérgio Cabral (MDB), condenado a 183 anos de prisão por corrupção e outros crimes na operação Lava jato. O MDB faz parte da aliança de Eduardo Paes.