Charlione Lessa de Albuquerque, de 23 anos, foi morto a tiros neste sábado - Reprodução Facebook
Charlione Lessa de Albuquerque, de 23 anos, foi morto a tiros neste sábadoReprodução Facebook
Por O Dia

Ceará - O jovem Charlione Lessa Albuquerque, de 23 anos, foi morto a tiros durante uma carreata a favor do candidato à presidência Fernando Haddad (PT), na noite deste sábado, em Pacajus, na Grande Fortaleza. 

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Ceará, o rapaz estava em um carro com a mãe quando homens em outro veículo desceram armados e efetuaram os disparos. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa da Polícia Civil realiza diligências para localizar e capturar o responsável pelo crime. 

A vítima chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu antes de chegar ao hospital. Charlione Lessa Albuquerque é filho de Maria Regina Lessa, secretária Nacional da Mulher Trabalhadora da CNTRV/CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Vestuário da CUT). 

"Após os disparos, o assassino bradou orgulhoso o nome de Bolsonaro", disse a confederação, por meio de nota. 

A presidente da  CNTRV, Francisca Trajano dos Santos, exigiu ação rápida das autoridades e que o candidato Jair Bolsonaro se pronuncie sobre a forma "extremamente violenta" que seus apoiadores agem. Fernando Haddad lamentou o crime nas redes sociais e pediu "apuração rápida". 

Você pode gostar