O presidente eleito Jair Bolsonaro participa no Congresso Nacional da sessão solene em comemoração aos 30 anos da Constituição Federal - Antonio Cruz/ Agência Brasil
O presidente eleito Jair Bolsonaro participa no Congresso Nacional da sessão solene em comemoração aos 30 anos da Constituição FederalAntonio Cruz/ Agência Brasil
Por Agência Brasil

Brasília - O presidente eleito, Jair Bolsonaro, vai dedicar a manhã desta quinta-feira (8) para negociar eventuais avanços na proposta de reforma da Previdência. Ele pretende ficar no apartamento que ocupou como parlamentar, na região central de Brasília, e fazer reuniões com deputados e senadores. O objetivo é tentar aprovar ainda este ano algumas mudanças.

"Só podemos avançar na área econômica se fizermos essa reforma. Devemos acompanhar a evolução e a longevidade que temos ganhado ao longo do tempo”, disse Bolsonaro.

O presidente eleito disse que ficará em Brasília até amanhã para conversar e ouvir propostas. Também informou que deverá retornar à capital na próxima semana.

Na terça-feira o economista Paulo Guedes, que deverá assumir o superministério da Economia, ressaltou a necessidade de aprovação da reforma da Previdência.

Idade mínima

O presidente eleito defendeu a fixação de idade mínima para aposentadoria. Nos últimos dias, ele defendeu, no caso do serviço público, 61 anos para homens e 56 para mulheres. Segundo ele, o esforço é para articular um projeto consensual capaz de ser aprovado pelo Congresso Nacional.

Nas reuniões que manteve ao longo do dia, Bolsonaro reiterou sua preocupação com a reforma da Previdência. No encontro com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, ele disse que está entre suas prioridades. O texto aguarda para ser votado na Câmara e, caso seja aprovado, irá ao Senado.

Secretário de Previdência vai se reunir com equipe de Guedes 

O secretário de Previdência Social do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, terá às 14 horas uma primeira reunião com a equipe de transição da área econômica do futuro governo, coordenada pelo economista Paulo Guedes, para debater os ajustes que podem ser feitos na proposta de reforma da Previdência que tramita na Câmara dos Deputados. O encontro será no CCBB, onde funciona o Gabinete da Transição.

A proposta já passou pela comissão especial e aguarda votação em primeiro turno no plenário da Câmara. A equipe do governo Michel Temer defende a manutenção do texto negociado, depois do substitutivo aprovado na comissão.

 

Como informou na terça-feira o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado), a reforma da Previdência foi o tema principal da conversa de Guedes com o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia.

O encontro teve por um período a participação do secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, que pode vir a integrar a equipe de Guedes.

Você pode gostar