Candidato à Prefeitura do Rio pelo PSL, Luiz Lima, em Ipanema - Divulgação
Candidato à Prefeitura do Rio pelo PSL, Luiz Lima, em IpanemaDivulgação
Por O Dia
O candidato à Prefeitura do Rio pelo PSL, Luiz Lima, caminhou, nesta quarta-feira, pelas ruas de Ipanema, na Zona Sul. Após conversar com moradores e eleitores, o deputado federal prometeu melhorias nas áreas de conservação e ordem pública, caso vença a eleição do próximo domingo.

"O problema da desordem urbana em Ipanema é notado pela grande quantidade de moradores em situação de rua. A gente já observa isso há alguns anos, mas era em menor quantidade. Cadê a Secretaria de Assistência Social? Temos também um problema de conservação muito sério na Zona Sul, com buracos no asfalto e nas calçadas. A falta de acessibilidade também é notória. O IPTU altíssimo em Ipanema e no Leblon não reflete o cuidado da prefeitura com o bem público. Vemos um pouco menos de problemas em relação a outros bairros, porque aqui há pessoas com poder aquisitivo maior e que, muitas das vezes, têm um poder maior para cobrar e exigir melhorias. Mas nas áreas menos favorecidas da Zona Sul temos baixa renda e um problema mais grave ainda de conservação", criticou o candidato.

Ao passar pela Praça Nossa Senhora da Paz, Luiz Lima abordou outro desafio que o Rio precisa superar urgentemente.
"Um rapaz jovem, morador do Morro do Cantagalo, reclamou comigo da ausência do poder público na comunidade e da não democracia nas eleições, pois vários candidatos a vereador, como ele frisou, não podem fazer propaganda em determinadas áreas da cidade. Isso é recorrente e acontece no Rio de Janeiro todo. É claro que ficamos espantados por acontecer na Zona Sul, que é um ponto nobre, mas também acontece", lamentou.

Por fim, a carência de saneamento básico em favelas também foi alvo de críticas durante a caminhada.
Publicidade
"As comunidades precisam ser urbanizadas. É um problema seríssimo, pois muitas áreas têm ruas estreitas, onde não há espaço para passar sistema de esgoto, mas precisamos encontrar uma solução. A prefeitura tem que olhar para essas comunidades e cuidar das pessoas, principalmente, das que estão em áreas de risco".