Messi vai a tribunal para prestar esclarecimentos sobre fraude fiscal

Advogado do jogador afirma que o atleta está disposto a colaborar com a Justiça

Por bernardo.argento

Espanha - O advogado de Lionel Messi, Cristóbal Martell, declarou nesta sexta-feira que a vontade do jogador argentino e de sua família é de colaborar com a justiça espanhola e não entrar em discussão com o Estado sobre a interpretação das normas fiscais. Cristóbal Martell fez estas declarações em frente ao Tribunal de Gavà (Barcelona), onde o astro argentino esteve para depor como indiciado em um caso de suposta fraude fiscal de aproximadamente 4 milhões de euros, correspondentes aos exercícios de 2007, 2008 e 2009.

Messi acena para os fãs e jornalistas Efe

Pouco antes do depoimento do jogador argentino, que deixou o tribunal citado sem fazer declarações à imprensa, o pai dele, Jorge Horacio Messi, também acusado pela mesma causa e representado pelo mesmo advogado, insistiu aos jornalistas que "a instrução da família Messi é a de total transparência, clareza e colaboração".

"Os interrogatórios se desenvolveram com idêntica vocação de transparência e ficou evidente uma grande vontade de regularizar essa situação com a agência tributária", afirmou o advogado, que ressaltou que "não há vontade de fazer uma luta inflamada de discussão com o Estado em torno da interpretação das normas fiscais".

Messi chegou ao Tribunal de Gavà pouco antes das 11h locais e, após uma hora e meia no interior do edifício judicial, o jogador deixou o local com o mesmo sorriso que mostrava em sua chegada e cumprimentando os mais curiosos que se concentraram nos arredores. No entanto, o craque do Barcelona não parou para atender os torcedores e jornalistas presentes, embora tenha cumprimentando os mesmos com um sinal da vitória.

O Ministério fiscal reivindica 4,1 milhões de euros por três delitos fiscais correspondentes aos exercícios de 2007, 2008 e 2009, nos quais o jogador supostamente burlou a tributação das receitas derivadas da cessão dos direitos de imagem a terceiros. Ao tomar conhecimento das acusações, o pai do jogador assumiu a culpa, junto a seu ex-sócio Rodolfo Schinocco, e depositou o dinheiro exigido pela justiça, apesar de não ter conseguido evitar o interrogatório do jogador perante o juiz. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia