Fifa nega que Jéromê Valcke tenha autorizado transferência milionária

Jornal afirmou que entidade transferiu US$ 10 mi para Caribe

Por victor.abreu

Suíça - A Fifa confirmou nesta terça-feira que transferiu US$ 10 milhões para o Caribe "para o desenvolvimento do futebol" na região, mas negou que "Jérôme Valcke ou qualquer outro membro" do alto escalão tenha autorizado o depósito.

Denúncia contra Valcke foi feita pelo NY TimesReuters

"O pagamento de US$ 10 milhões foi autorizado pelo presidente da comissão de finanças e executado de acordo com as normas da Fifa. Nem o secretário-geral, Jérôme Valcke, ou qualquer outro membro do gerenciamento sênior da Fifa estavam envolvidos na iniciação, aprovação ou implementação do projeto acima", afirmou em nota. Na época, o líder das finanças da organização era o argentino Julio Grondona, que morreu no ano passado.

A resposta da entidade máxima do futebol ocorre um dia após o jornal "The New York Times" afirmar que o secretário-geral da Fifa teria autorizado o depósito do dinheiro para contas do ex-presidente da Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caribe (Concacaf) Jack Warner.

O dirigente foi um dos detidos pela operação da polícia norte-americana que prendeu sete pessoas em Zurique sob a acusação de corrupção.

Segundo a matéria, os milhões de dólares se referiam ao pagamento de suborno para a eleição da África do Sul como sede da Copa do Mundo de 2010. O "número dois" seria o "alto funcionário da Fifa" não identificado e que foi citado em um processo de 2008, aberto na Corte de Nova York, sobre a compra de votos para a escolha do Mundial.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia