Mais Lidas

Presidente da Ferrari revela desejo da Alfa Romeo em retornar à Formula 1

A equipe conquistou os títulos mundiais de 1950, com Nino Farina, e em 1951 com Juan Manuel Fangio

Por victor.abreu

Itália - A Alfa Romeo pode voltar à disputar corridas em breve, revelou o CEO da Fiat Chrysler Automobile (FCA) e presidente da Ferrari, Sergio Marchionne, nesta segunda-feira (14), durante a coletiva de Natal da empresa.

"A marca Alfa Romeo é incrível e permanece no coração das pessoas. Por isso, estamos pensando em seu retorno como competidora às corridas e à Fórmula 1", disse Marchionne. Para o presidente, é "importante" que a equipe volte à categoria porque seria "um bom competidor a mais".

Sergio Marchionne, CEO da Fiat Chrysler Automobile (FCA) e presidente da FerrariDivulgação

A Alfa Romemo, escuderia que envolveu a participação de Enzo Ferrari, ficou na principal categoria do automobilismo mundial entre os anos de 1950 e 1951 e entre 1979 e 1985 e forneceu motores a outras escuderias até 1988. A equipe disputou 110 corridas, obtendo 11 vitórias. A Alfa conquistou os títulos mundiais de 1950, com a 158 de Nino Farina, e em 1951 com a 159 de Juan Manuel Fangio.

Comentando as últimas polêmicas da F1, que levaram algumas equipes a ameaçar abandonar a categoria, Marchionne ironizou dizendo que "a Ferrari deixar a Fórmula1 é uma hipótese possível, mas muito improvável". "Porém, se eles não nos quiserem, nós saímos. Se querem transformar a Fórmula 1 na Nascar, podem fazer sem a nossa ajuda", ressaltou o mandatário sobre as grandes equipes terem que fornecer motores para os times menores.

- Vettel e próxima temporada: O presidente da Ferrari foi questionado ainda sobre seus pilotos e sobre o que esperar sobre a temporada de 2016 da escuderia. Ao falar do alemão Sebastian Vettel, terceiro colocado no Mundial de Pilotos de 2015, Marchionne foi só elogios.

"Após cinco anos em Maranello, Fernando Alonso saiu menos ferrarista do que quando Sebastian entrou. Me atingiu muito seu discurso em italiano, no último sábado, em Maranello. Vettel está cada dia mais ferrarista. Foi um grande ano e foi triste nós não termos ganhado mais grandes prêmios", ressaltou.

Sobre o novo ano, o líder quer "vencer já a primeira corrida na Austrália". Segundo Marchionne, com todo o trabalho feito pela escuderia para acertar o carro deste ano, agora "precisamos de resultados nas pistas".

"Fazer as contas em dezembro e dizer como somos bons agora não faz sentido. Precisamos viver no terror até a primeira corrida, em Austrália, quando entenderemos se nós alcançamos ou superamos a Mercedes", destacou na comparação com os campeões da F1 nos últimos dois anos.

A Ferrari foi a única equipe nesta temporada a fazer frente aos flechas de prata na pista, com três vitórias. Todas as outras etapas foram vencidas por Lewis Hamilton ou por Nico Rosberg.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia