Daniel Alves exalta trabalho do técnico Tite: 'É o grande nome dessa revolução'

Lateral-direito voltou a fazer muitos elogios ao técnico da seleção brasileira

Por O Dia

São Paulo - Se o Brasil sobrou na classificação final das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, isso se deve muito ao período em que Tite está à frente da equipe. Afinal, foram 10 vitórias e dois empates em 12 jogos com o treinador no torneio classificatório, algo que o faz ser exaltado pelo torcedor e pelos seus comandados, como o lateral-direito Daniel Alves. Na visão do jogador do Paris Saint-Germain, o treinador tem grande responsabilidade pela consolidação da equipe.

"O Tite é o grande nome dessa revolução na seleção. A gente só segue o que ele diz", afirmou Daniel Alves após a vitória por 3 a 0 sobre o Chile, na última terça-feira, no estádio Allianz Parque, em São Paulo, pela rodada final do classificatório da Conmebol para o Mundial da Rússia.

Daniel Alves fez muitos elogios a TiteAFP

Sem meias palavras, Daniel Alves apontou Tite como o principal técnico do Brasil, bem acima do nível dos demais profissionais em atividade no futebol. "O Tite está muito distante de todos os outros treinadores brasileiros", comentou o lateral-direito, que carrega a experiência de ter disputado 105 partidas pela seleção

Na última delas, contra o Chile, teve atuação discreta, mas ainda assim participou do gol que abriu o caminho para a vitória da seleção brasileira, ao cobrar a falta que culminou no gol marcado pelo volante Paulinho no começo do segundo tempo.

A sequência de grandes resultados da seleção com Tite a torna uma das favoritas para a Copa do Mundo na Rússia, mas Daniel Alves sabe que o desafio será repetir esse alto nível em 2018. E ele garante que ninguém no grupo vai se deslumbrar com esse momento positivo. "Não vamos nos empolgar com os elogios que estamos recebendo", garantiu.

Para assegurar que a seleção vai manter os pés no chão, Daniel Alves volta a elogiar e apontar a sua responsabilidade pelo sucesso da equipe. "O espírito desse time é mérito do Tite, e tenho certeza de que ele não vai deixar essa peteca cair até a Rússia", concluiu o lateral-direito do Paris Saint-Germain.


Últimas de Esporte