Mais Lidas

Jogador se recusa a usar símbolo que homenageia mortos na guerra

Meia, de 30 anos, disse que não tem a intenção de ofender alguém com o gesto

Por AFP

Nemanja Matic
Nemanja Matic -

Inglaterra - O meia sérvio do Manchester United Nemanja Matic anunciou nesta segunda-feira que não usará a flor de papoula, o 'poppy', que nos países do antigo Império Britânico serve de homenagem à vítimas da guerra, devido ao bombardeio de seu vilarejo natal por tropas da Otan em 1999.

O jogador, 30 anos, já não usou o símbolo no último fim de semana na partida do United contra o Bournemouth e anunciou que não o fará de novo neste domingo no clássico de Manchester contra o City.

"Sinto muito por todas as pessoas que perderam entes queridos em conflitos. Contudo, o 'poppy' me lembra o ataque que vivi pessoalmente quando era uma criança de 12 anos, assustado e vivendo em Vrelo. Meu país foi devastado pelo bombardeio da Sérvia em 1999", explicou o jogador no Instagram, que no ano passou usou no uniforme o símbolo.

"Embora já tenha usado, depois de refletir bem, não acho que seja justo usar o 'poppy' na camisa", completou Matic, insistindo que não tem a intenção de ofender alguém com o gesto.

No Reino Unido, é tradicional usar uma flor de papoula na roupa em homenagem aos mortos e feridos na guerra. O 'poppy' é usado em final de outubro ou início de novembro até o segundo domingo de novembro.

A Federação Inglesa foi punida em 2016 pela Fifa pelo uso deste símbolo em jogos disputados em novembro daquele ano que coincidiram com o aniversário do fim da Primeira Guerra Mundial.

As regras da Fifa proíbem os jogadores de exibirem símbolos que possam ser interpretados como declarações políticas, religiosas ou pessoais. Desde então, porém, a entidade suavizou esse regulamento.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia