Agora é a vez delas! Brasileiras do surfe buscam espaço e vaga nas Olimpíadas

País terá duas representantes mulheres na etapa de Saquarema do Mundial de Surfe

Por Yuri Eiras

Tatiana Weston-Webb decidiu representar o Brasil no surfe mundial
Tatiana Weston-Webb decidiu representar o Brasil no surfe mundial -
Saquarema - É preciso entrar na onda para não ficar para trás. Depois de décadas de desprezo e preconceito, o Brasil tem dividido as atenções entre o futebol masculino, na Copa América, e o feminino, na Copa do Mundo. E, assim como nos campos, as mulheres também querem ocupar seu espaço no mar. A Oi Rio Pro, etapa brasileira do Mundial de Surfe (WSL), começa nesta quinta-feira (20) em Saquarema, Região dos Lagos. Na modalidade feminina o Brasil é representado pela cearense Silvana Lima, pela catarinense Thainá Hinckel e pela brasileira-havaiana Tatiana Weston-Webb.
Tatiana Weston-Webb decidiu em abril do ano passado representar o Brasil no surfe mundial. Filha de um inglês com uma brasileira, a surfista de 22 anos nasceu no Rio Grande do Sul, mas foi ainda pequena morar no Havaí, nos Estados Unidos. A intenção é levantar a bandeira verde e amarela nas Olimpíadas do ano que vem, no Japão - o surfe é um dos cinco esportes que irão estrear nos Jogos de Tóquio-2020. "Primeiramente eu estou bem orgulhosa de representar o Brasil. É uma honra, eu estou muito feliz. O Brasil tem o melhor apoio por parte da torcida", disse Weston-Webb, ainda com sotaque misturado.
A classificação para a Olimpíada será a partir do ranking mundial. "A briga vai ser grande, mas com certeza teremos duas meninas representando o Brasil no Japão", garantiu Silvana Lima.
Catarinense ganha vaga na triagem
O Mundial só começa na quinta-feira (20), mas Saquarema já vive a competição desde esta quarta-feira. Pela manhã, a triagem da Federação de Surfe do Estado do Rio (FESERJ) definiu os últimos participantes da etapa brasileira. No masculino, o paulista Alex Ribeiro levou a melhor. No feminino, a catarinense Thainá Hinckel ganhou a vaga. Ela é mais uma a representar o país, e pega logo uma pedreira: sua bateria será contra a heptacampeã mundial Stephanie Gilmore.
"Eu só quero surfar, poder representar bem o meu país e é incrível estar entre as melhores do mundo mais uma vez", disse Tainá Hinckel. “Minha primeira meta era vencer a triagem. Agora, a meta é dar o meu melhor para vencer a primeira bateria. Com certeza, o prêmio já é um grande incentivo, porque todo mundo precisa, inclusive eu. Mas, não estou nem pensando nisso e só em me divertir", completou.
Tainá Hickel of Brazil wins the Trials and earns a place in the Oi Rio Pro in Saquarema on June 19, 2019 in Rio de Janeiro, Brazil. (Photo by Thiago Diz/WSL via Getty Images) - WSL/Diz

Galeria de Fotos

Tatiana Weston-Webb decidiu representar o Brasil no surfe mundial REPRODUÇÃO INSTAGRAM
Tainá Hickel of Brazil wins the Trials and earns a place in the Oi Rio Pro in Saquarema on June 19, 2019 in Rio de Janeiro, Brazil. (Photo by Thiago Diz/WSL via Getty Images) WSL/Diz

Comentários