Diante do Flu, Sesc RJ quer ir mais longe

Por

Natinha
Natinha -

Fora das semifinais da Superliga feminina de vôlei na última temporada pela primeira vez desde a sua criação, em 1997, quando o projeto começou em Curitiba, o Sesc RJ volta a disputar as quartas de final da competição nacional na semana que vem, num duelo carioca com o Fluminense. O primeiro jogo da série melhor de três contra o Tricolor está marcado para terça-feira, às 19h, no ginásio da Hebraica.

E, para retornar às semifinais e seguir em busca do título, a equipe carioca comandada pelo técnico Bernardinho apostou em novidades para a temporada 2019/2020, como a líbero Natinha, que chegou ao Rio após passagem pelo Hinode-Barueri (SP). Aos 22 anos, ela encara o primeiro playoff de Superliga pelo Sesc RJ, vice-líder da fase de classificação, enquanto o Fluminense foi o sétimo colocado.

"A preparação está grande, começou hoje (ontem) e nossa expectativa é muito alta, de fazer bons jogos com elas. É o meu primeiro playoff com o time e estou bem animada, junto com a equipe, para fazermos o melhor para passar para a semifinal", afirmou Natinha, apontando a eficiência no saque como fundamental para o Sesc RJ superar o Tricolor.

Maior vencedor da história da Superliga, com 12 títulos, o Sesc RJ havia marcado presença em todas as finais da competição desde 2004/2005 até a última temporada, quando foi eliminado pelo Sesi Bauru na fase de quartas de final.

Comentários