'Minha mãe morreu sem me ver sóbrio', desabafa Casagrande

Comentarista falou novamente sobre seus problemas com droga

Por O Dia

Casagrande volta a criticar a diretoria do Flamengo em relação a postura sobre a volta do futebol
Casagrande volta a criticar a diretoria do Flamengo em relação a postura sobre a volta do futebol -
Rio - Convidado do "Papo de Segunda" desta segunda-feira, no GNT, Walter Casagrande voltou a falar sobre os problemas que enfrentou com as drogas. O comentarista afirmou que uma de suas grandes tristezas é que Zilda Casagrande, sua mãe, tenha morrido sem lhe ver sóbrio.
"Por infelicidade, minha mãe faleceu em 2013 e não deu tempo dela me ver assim [sóbrio]", lamentou o ex-atacante e atual comentarista. "Ela sempre me falava: 'Waltinho, eu só vou morrer quando lhe ver bem', mas ela morreu sem me ver bem. Eu não tive a oportunidade de olhar para a minha mãe e dizer: 'Mãe, obrigado por tudo o que você fez por mim, eu amo a senhora e você foi a pessoa mais importante da minha vida'. Eu não tive essa possibilidade", revelou o ex-jogador.
 

Comentários