Seedorf admite: 'Castigo merecido'

Camisa 10 elogia mudanças de Mano Menezes e diz que rival teve mais gás para buscar empate. Para Oswaldo, time podia ter matado o clássico

Por rafael.arantes

Rio - O gol no último minuto doeu. Não pelo resultado em si, pois um empate em clássico com o Flamengo pode ser considerado normal. Mas perder a liderança isolada do Campeonato Brasileiro deste jeito não estava nos planos dos jogadores do Botafogo. Sempre com opinião sóbria, Seedorf reconheceu que o time caiu de rendimento na etapa final e, por isso, mereceu o tropeço em sua primeira partida no Maracanã.

“Não jogamos nada no segundo tempo e eles mereceram o empate. Primeiro tempo a gente jogou, segundo foram eles”, disse.

Seedorf lamenta vacilos do Bota contra o FlaDivulgação

Autor do passe do gol de Rafael Marques, o camisa 10 parabenizou as mexidas do técnico Mano Menezes no segundo tempo. Para ele, o Flamengo teve mais fôlego para buscar o empate do que o Botafogo teve para manter o resultado.

“Podia ter sido melhor se a gente tivesse mantido o padrão de jogo, mas o treinador deles mexeu bem e conseguiu o empate. No segundo tempo eles estavam mais frescos fisicamente e chegaram ao empate, quando nós já estávamos cansados”, afirmou o holandês.

Já o técnico Oswaldo de Oliveira teve um outro olhar sobre o clássico. De acordo com o treinador, seu time teve a chance de garantir a vitória, mas não conseguiu ter sucesso na conclusão.

“Tivemos a supremacia do jogo no primeiro tempo. Criamos várias oportunidades, chegamos ao gol e apresentamos postura consciente, indo bem tanto na parte técnica quanto na tática. O Flamengo não teve chances no primeiro tempo, mas veio com tudo na etapa final. Eles cresceram, nos sufocaram, mas tivemos três chances claras de ampliar e matar o jogo antes do empate. Poderíamos ter definido o duelo e jogado um balde de água fria nas pretensões deles. Essa é a principal análise que faço desse empate”, declarou o treinador.

Oswaldo fugiu das acusações de que teria recuado o time na etapa final. “Insisti para continuarmos pressionando a defesa do Flamengo, pois foi assim que criamos o gol no primeiro tempo”.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia