Botafogo pega o Galo em clima de revolta

Torcida picha muros, mulher de Vitinho xinga nas redes sociais e sócio rasga a carteira. No meio do fogo cruzado, Oswaldo tenta montar o time

Por pedro.logato

Rio - A torcida do Botafogo não engoliu a saída de Vitinho. Os protestos, que começaram nas redes sociais e receberam xingamentos da esposa do jogador como resposta, foram parar nos muros da sede em General Severiano. Pichações chamaram o garoto de mercenário e hostilizaram o presidente Maurício Assumpção.

Botafogo vive momento turbulento com saída de VitinhoDivulgação

No meio do fogo cruzado, Seedorf tenta comandar o Glorioso contra o Atlético-MG, nesta quarta, às 19h30, no Independência. Alvinegro pode até perder por um gol de diferença que garante vaga nas quartas de final da Copa do Basil.

Mesmo na vice-liderança do Campeonato Brasileiro, o Botafogo precisa reconquistar sua torcida após a inesperada venda de Vitinho. A diretoria tentou segurar o jogador, mas os botafoguenses não perdoaram o fato de o salário do jogador não ter sido aumentado antes, para que fosse elevada também a multa rescisória.

Na internet, um torcedor revoltado compartilhou um vídeo no qual rasga o título de sócio-torcedor do clube. Mais uma prova da insatisfação alvinegra.

Sorte do Botafogo que o futebol é dinâmico — como os próprios jogadores dizem. Uma classificação hoje sobre o atual campeão da Libertadores funcionará como panos quentes, abafando a insatisfação da torcida e resgatando a confiança do time.

Os jogadores que continuam defendendo o clube, garantem que o ritmo não cairá após a saída da revelação.

“Ele está tendo uma oportunidade, é uma escolha pessoal. Aqui temos totais condições de suprir a ausência dele com os jogadores que temos. Assim como ele supriu a do Fellype Gabriel quando ele saiu. Para nós não é novidade nenhuma. Tem muita gente falando que o Botafogo vai enfraquecer muito, e eu penso ao contrário. Acho que vamos demonstrar mais uma vez que temos elenco. Vamos provar isso”, disse o lateral-esquerdo Julio Cesar.

Oswaldo de Oliveira tem que arrumar uma solução rápida que evite a perda de criatividade com a saída de Vitinho. Mais uma vez, ele irá optar por recuar Rafael Marques e, assim como no jogo de ida, Alex será o único atacante, já que Elias disputou a competição pelo Resende e não pode defender outro time.

Para a vaga de Marcelo Mattos, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o escolhido do treinador será Renato. E no lugar de Gilberto, com uma lesão muscular na coxa esquerda, entra Edílson.

Marcador fica aliviado com a ausência de Vitinho

A notícia da venda de Vitinho, às vésperas da partida decisiva pela Copa do Brasil, foi muito bem recebida pelos jogadores do Atlético-MG. Pierre, que marcou o garoto na vitória botafoguense por 4 a 2 no primeiro jogo, acredita que terá menos trabalho hoje, porém, pede atenção com o adversário.

“Vitinho dispensa comentários. É uma revelação, um moleque de muita qualidade. Nos dois jogos que fizemos contra o Botafogo, vimos a qualidade dele, finaliza bem, rápido. Tenho certeza de que nos traria trabalho, se estivesse em campo. Mas sabemos da qualidade do grupo deles, e quem entrar vai querer dar conta do recado”, disse o volante atleticano.

Outro que deve ter gostado é o técnico Cuca, que rasgou elogios ao garoto na semana passada.

Penhora tira o sono do Fogão

Pelo visto, o Botafogo pode ficar a ver navios quanto à venda de Vitinho para o CSKA Moscou. A Procuradoria-geral da Fazenda Nacional (PGFN) entrou com um pedido na 4ª Vara de Execuções Fiscais na Justiça Federal para bloquear a grana da transferência. O jogador viajou ontem para Roma, onde fará exames médicos e depois seguirá para Moscou, onde se apresentará ao novo clube.

Com 60% dos direitos do jogador, o Botafogo receberia R$ 18,6 milhões, mas corre o risco de penhoras por dívidas fiscais.

Recentemente, o clube já havia deixado de receber cerca de R$ 8 milhões referentes às vendas de Fellype Gabriel e Andrezinho por causa de penhoras. A diretoria tenta um acordo com a Procuradoria.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia