Botafogo parte para cima do Furacão

Vagner Mancini escala time ofensivo para o confronto deste sábado com o Atlético-PR, às 21h, em Volta Redonda

Por edsel.britto

Rio - A água já passou da cintura e, para evitar que chegue ao pescoço, o Botafogo precisa desesperadamente da vitória, neste sábado, às 21h, contra o Atlético-PR, em Volta Redonda. A ordem no Alvinegro é atacar para iniciar a arrancada e fugir do rebaixamento à Série B.

O técnico Vagner Mancini mandará a campo a formação mais ofensiva desde que chegou ao clube. Carlos Alberto, Murilo, Yuri Mamute e Jobson atuarão juntos pela primeira vez e pretendem sufocar o Furacão desde o início. Além de apostar no ataque, o Glorioso confia no retrospecto no Raulino de Oliveira para conseguir os três pontos. O time não perde no estádio desde 2006 e lá conquistou seu último título, o Carioca do ano passado.

Jobson está confirmado entre os titulares deste sábado à noite%3A partida decisivaVitor Silva / SS Press

Com 43 pontos, o Furacão já não tem muitos objetivos no Brasileiro, mas é por isso que os alvinegros pregam concentração total. Um clube que não tem nada a perder se torna um adversário mais complicado.

“É aí que fica perigoso, porque vamos enfrentar uma equipe solta, quase sem responsabilidade. O Atlético tem ótimos jogadores, leves e que jogam sem função definida, o que acaba nos prejudicando. Quando o jogador guarda posição, o adversário consegue encaixar a marcação. Vamos ter dificuldade”, previu o goleiro Jefferson.

Gabriel é dúvida

Sem poder contar com André Bahia, Rogério e Wallyson, lesionados, Mancini também corre o risco de não ter o titular absoluto Gabriel. O volante sofreu entorse no tornozelo direito no treino de quinta-feira e sua escalação só será definida momentos antes do jogo. Se não puder atuar, será substituído por Bolatti ou pelo garoto Andreazzi, que vinha sendo titular, mas perdeu a vaga para Airton.

O confronto de hoje à noite será o primeiro da sequência de três partidas ‘em casa’ que o Botafogo terá. Faltando 12 pontos, de acordo com os matemáticos, para se garantir na Séria A em 2015, o Glorioso só pensa em ganhar os três jogos. Um empate em qualquer uma das partidas será considerado uma derrota e a forca ficará mais próxima.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia