Botafogo vira contra o Madureira e segue vivo na Taça Rio

Glorioso conseguiu primeira vitória no segundo turno do Carioca

Por ALYSSON CARDINALI

Botafogo venceu o Madureira
Botafogo venceu o Madureira -

Rio - Foi difícil, suado, chorado. Mas, na base da raça, o Botafogo venceu o Madureira, por 2 a 1, de virada, nesta segunda-feira, no Nilton Santos, e segue vivo na busca pelo bicampeonato carioca. Jonathan e Kieza fizeram os gols que levaram o Alvinegro para a quarta posição no Grupo B e o mantiveram na briga por uma vaga às semifinais da Taça Rio. Um resultado que dá moral para o clássico contra o Fluminense, domingo, no Maracanã.

Antes de a bola rolar, os jogadores do Botafogo, solidários, entraram em campo acompanhados de mulheres vítimas da violência de gênero e integrantes da ONG 'Não Me Kahlo'. Após o pontapé inicial, porém, irritaram a torcida.

Até começaram bem e quase abriram o placar aos quatro minutos, mas Kieza finalizou em cima do goleiro Douglas após belo passe de Erik. Aos 11, porém, levaram o primeiro gol e, nervosos, passaram a sofrer com a pressão vinda da arquibancada.

Principalmente Marcinho, responsável pela vantagem do Madureira ao marcar um gol contra. Naninho deu passe para Bruno, que chutou em cima de Gatito Fernandéz, e, no rebote, a bola bateu no lateral antes de entrar. Vaias no Nilton Santos.

A revolta da torcida, porém, não impediu o Botafogo de partir para o ataque — só que desordenadamente e pouco incisivo. A melhor chance de gol só surgiu em uma cobrança de falta de Cícero, aos 31, mas a bola parou no travessão. Irritada, a torcida obedeceu a mensagem na camisa dos atletas ('não se cale') e esbravejou no intervalo da partida.

Nem a presença do recém-contratado Diego Souza no Nilton Santos foi capaz de aplacar a ira da galera, que viu o Botafogo seguir tímido no início do segundo tempo. Já o Madureira, covarde, abdicou do ataque e viu os alvinegros ficarem com a bola no pé. O castigo veio aos 16 minutos, quando, Jonathan, enfim, desencantou. Gustavo lançou Ferrareis, que rolou para o camisa 6 chutar cruzado e empatar.

O gol acendeu a estrela da equipe do técnico Zé Ricardo, que pôs Rodrigo Pimpão, João Paulo e Igor Cássio em ação. As alterações surtiram efeito e o Botafogo, mais ofensivo, conseguiu incendiar o jogo. Para alegria da torcida, que não se calou e viu Kieza, aos 39, de cabeça, aproveitar cruzamento de Marcinho para decretar a virada e manter o Botafogo vivo no Campeonato Carioca.

Comentários