Autuori adota mudanças constantes como estratégia

Desde o início do Brasileiro, o treinador usou diversas escalações e esquemas táticos

Por O Dia

Paulo Autuori orienta Caio Alexandre e Danilo Barcelos em treino no Nilton Santos
Paulo Autuori orienta Caio Alexandre e Danilo Barcelos em treino no Nilton Santos -

A cada jogo que passa, fica mais difícil prever a escalação do Botafogo. Com um plantel cheio de jogadores, Paulo Autuori tem feito questão de rodar o elenco e testar as mais variadas opções na hora de entrar em campo. Além de tornar a equipe imprevisível para os adversários, a estratégia é fundamental para evitar o cansaço em meio a um calendário tão apertado.

O pouco espaço entre os jogos, aliás, é um problema do futebol brasileiro que foi agravado pela pandemia da covid-19. Com tantos compromissos, as mudanças constantes no time se tornaram ainda mais importantes. Desde a volta do Campeonato Brasileiro, o Glorioso joga no meio e aos fins de semana, e será assim pelo menos até outubro, já que avançou à quarta fase da Copa do Brasil. Bom para o torcedor, dor de cabeça para a comissão técnica.

"Temos variado a estrutura da equipe, ou com três zagueiros, ou com uma linha de quatro mais atrás. Mais importante do que isso tudo é o desgaste que estamos conseguindo controlar bem, graças ao trabalho da recuperação física", pontuou o auxiliar Renê Weber após a vitória por 2 a 1 sobre o Paraná.

KALOU APARECE NO BID

Como explicou Renê, o esquema tático também variou. A equipe já jogou no 4-3-3, no 4-4-2 e no 3-5-2, como nos últimos jogos, mas Autuori costuma mexer na formação até mesmo durante as partidas. A fórmula de não adotar um padrão de jogo tem garantido a invencibilidade no Brasileiro, mas também só rendeu uma vitória em quatro rodadas.

Contra o líder Internacional, amanhã, no Niltão, o Botafogo pode ter o reforço do marfinense Kalou, que apareceu ontem no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF e está apto para entrar em campo.

Comentários