Alan Santos, ex-BotafogoDivulgação

Rio - A 70ª Vara do Trabalho da 1ª Região, no Rio de Janeiro, condenou o Botafogo a pagar R$ 1,2 milhão ao volante Alan Santos, que defendeu o clube em 2019. A decisão ainda cabe recurso. As informações são do site "GE".
Segundo o portal, os números são referentes a salários atrasados dos meses de outubro e novembro, férias, 13º salário, fundo de garantia, multas da CLT e honorários advocatícios.
"O Alan tem grande respeito pelo clube, mas houve o descumprimento de alguns valores do contrato de trabalho. Fomos obrigados a entrar na justiça para buscar os direitos do atleta, todos previstos em lei", disse Dyego Tavares, advogado do atleta, ao veículo.
Alan Santos disputou apenas 11 jogos com a camisa do Botafogo. Atualmente, ele defende o Vitória.