Mais Lidas

Flamengo decepciona e empata com Resende na estreia de Gabigol e Arrascaeta

Rubro-Negro jogou com muitos reservas e o destaque da partida foi o golaço de bicicleta de Henrique Dourado

Por O Dia

Jogadores do Flamengo comemoram gol de Dourado
Jogadores do Flamengo comemoram gol de Dourado -

Volta Redonda - Com os dois últimos artilheiros do Campeonato Brasileiro em ação, Henrique Dourado (18 gols, em 2017) e Gabigol (18 gols, em 2018), o 'turbinado' time reserva do Flamengo colocou o favoritismo à prova contra o Resende na noite desta quarta-feira. Se o novo dono da 9 passou em branco, Dourado correspondeu à confiança de Abel Braga e 'ceifou' com um golaço de bicicleta no Raulino de Oliveira e garantiu o empate na segunda rodada da Taça Guanabara: 1 a 1.

As longas filas nas bilheterias do Raulino de Oliveira ajudaram a medir o tamanho da expectativa do torcedor rubro-negro para conferir de perto a estreia dos badalados Arrascaeta e Gabigol. A paciência e esperança que sobram para os novos reforços, faltam para Henrique Dourado. Antes mesmo de a bola rolar, o camisa 18 foi alvo de críticas nas redes sociais por ter recebido a braçadeira de capitão, na ausência de Diego.

Desde que chegou à Gávea, Dourado nunca teve vida fácil. Pressionado pelos gols perdidos e pouco marcados (13 e 43 jogos, em 2018), o Ceifador iniciou o ano pressionado pela torcida, mas com a confiança de Abelão, que o comandou no Fluminense no período no ano em que anotou 34 gols.

Com dois camisas 9 de ofício em campo, Gabigol teve mais liberdade para se movimentar e pouco perigo levou ao longo do primeiro tempo. Mesmo centralizado, Dourado brigou pela bola na frente. No entanto, o Resende foi quem abriu o placar, com Joseph, aos 18 minutos, após cobrança de escanteio.

A resposta rubro-negra foi quase imediata e com a marca de um típico artilheiro. Dourado estava no lugar certo, mas o arremate de bicicleta, após o cruzamento de Trauco, foi ainda melhor para empatar o jogo, aos 22 minutos, com destaque para o bom passe de Arrascaeta no início.

Muito modificado, o Flamengo em relação à estreia, contra o Bangu, o Flamengo sentiu a falta de ritmo e entrosamento com o passar do tempo. Erros de passe e de posicionamento deram a tônica até o fim do primeiro tempo.

Pouco depois do reinício da etapa complementar, um problema nos refletores paralisaram o jogo por 14 minutos. Com a entrada de Vitinho, o técnico Abel Braga tentou aumentar o poderio ofensivo, mas pouco depois sacou o discreto Arrascaeta.

E a melhor chance foi do Resende, mas Zambi, cara a cara, parou na difícil defesa de César. Dourado, de cabeça, perdeu uma chance clara de virar o jogo. No minutos final, Abelão chegou a comemorar, mas a falta cobrada por Vitinho, rente à trave, não entrou. Bem fisicamente, Gabigol resistiu aos 90 minutos e, mesmo discreto, provou que pode ser opção para o clássico com o Botafogo, sábado, às 17h, no Nilton Santos.

FICHA TÉCNICA

RESENDE 1 X 1 FLAMENGO

RESENDE - Ranule; Filipi, Rhayne, Lucão e Jeanderson; Joseph (Sabão), Vitinho, Léo Silva e Arthur Faria (Dieguinho); Zambi (Jackson) e Maxwell. Técnico: Edson Souza.

FLAMENGO - César; Rodinei, Léo Duarte, Matheus Dantas e Trauco; Piris da Motta, Hugo Moura (Cuéllar), Jean Lucas (Vitinho) e Arrascaeta (Thiago Santos); Gabriel e Henrique Dourado. Técnico: Abel Braga.

GOLS - Joseph, aos 18, e Henrique Dourado, aos 22 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Rodrigo Nunes de Sá (RJ).

CARTÕES AMARELOS - Jeanderson, Vitinho (Resende); Jean Lucas (Flamengo).

RENDA - R$ 320.440,00.

PÚBLICO - 12.572 pagantes (14.341 presentes).

LOCAL - Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários