Discurso apaixonado, lembranças de infância e 'gemidão': Filipe Luís é apresentado pelo Flamengo

'O que me motivou foi o desafio', disse o lateral-esquerdo em sua chegada

Por O Dia

Filipe Luís chegou ao Flamengo
Filipe Luís chegou ao Flamengo -
Rio - A maior novela do Flamengo na temporada teve seu último e mais bonito capítulo na tarde desta sexta-feira (26). O lateral-esquerdo Filipe Luís foi apresentado no CT do Ninho do Urubu. Com discurso firme e apaixonado - ele é torcedor rubro-negro desde a infância -, o jogador falou sobre a demora em tomar a decisão de retornar ao Brasil e aceitar a proposta do clube carioca. Também teve gargalhada: um repórter caiu no 'gemidão do Zap' durante a entrevista coletiva.
Filipe Luís disse não temer que sua demora atrapalhe a relação com a torcida rubro-negra. "Entendo o lado do torcedor pela ansiedade...Eles querem que o cara decida rápido. Também sei que o torcedor é muito no momento, no dia a dia, no jogo que vem. É o que ele pensa. A mensagem que posso passar para o torcedor é dentro do campo. Se eu passar uma mensagem que estou bem, que quero ajudar o Flamengo, que dou a vida por esse clube, é o que importa. Sou flamenguista desde pequeno, então fica tudo mais fácil", disse.
Outro momento descontraído foi quando Filipe Luís falou sobre os amigos Neymar e Diego Costa. "O Neymar é um cara 10. Ele torce para o Flamengo, hein. Outro que vem daqui a uns anos é o Diego Costa. Já falei com ele", brincou. Marcos Braz, vice de futebol, interrompeu, também em tom de brincadeira: "VocÊ não sabe o que acabou de cometer"
Confira outros trechos da entrevista:
Ídolo da infância e momento mais especial como torcedor
Eu faço o que eu penso e o que decido na hora. Eu faço as coisas no coração. Meu ídolo foi o Athirson. A maioria dos laterais-esquerdos tiveram o Roberto Carlos como ídolo, mas o meu foi o Athirson. Gostava muito do jeito dele jogar, tentava imitar. Até mandei mensagem para ele há uns meses atrás. Depois percebi que não dava para imitar, cada um tem o jeito. O jogo que me marcou foi o gol do Petkovic. Foi o momento mais importante que eu vivi (como torcedor).
Negociação com time do coração
Obviamente, cada vez que eu estava com eles (Braz e Spindel) era mais fácil. O poder de convencimento desses caras é impressionante. São vendedores, sabem o que fazem. Sentei com minha esposa, percebemos que o Flamengo está fazendo o esforço. Eles foram até a Europa. Meu pai sempre dizia: 'o que que tu quer, que a kombi do Flamengo passe na sua casa?' (risos). Mas passou. Isso fez a diferença para fecharmos. No outro dia foi só dar risada e ouvir as histórias que esses caras têm.
Privilégio de jogar pelo Flamengo
Foram conversas interessantes, com Marcos (Braz) e com o Bruno (Spindel). Mas, nada de diferença financeira. Por isso, teria ido para um outro país, para a China, por exemplo. O que me motivou foi o desafio. Isso aí é uma coisa que muita gente não tem oportunidade. O Flamengo está mostrando essa possibilidade de lutar por títulos, fazer história, colocar mais uma estrela na parede. Foi uma decisão muito difícil, mas decidi pelo coração.
Expectativa de trabalhar com Jorge Jesus
Eu tive a oportunidade de jogar contra o Jorge duas vezes, contra o Benfica, na Champions. É um treinador excelente, com certeza ajudou muito na minha decisão ele estar aqui. É um cara que propõe um futebol ofensivo, se encaixa com o meu perfil. Ele controla muito bem o jogo. Vai ser um prazer trabalhar com ele, poder aprender. No futuro, se eu quiser treinar o Flamengo, estarei preparado.
Previsão de estreia
Vai depender dos treinamentos dessa semana. Estou quase três semanas sem competir, só treinando separado, em casa, preciso de um tempo de adaptação para ficar no meu melhor nível. O treinador vai me avaliar e vai ver. 

Comentários