Flamengo: Bruno Henrique e Rodrigo Caio são dúvidas para a estreia na Libertadores, e Rafinha revela que irá 'tratar e cuidar' da lesão na coxa esquerda após 'sacrifício'

O atacante e o zagueiro, com contusão no joelho direito e no adutor da coxa esquerda, respectivamente, estão fazendo tratamento intensivo, mas não devem ficar à disposição na partida do dia 4 de março, contra o Junior Barranquilla, às 21h30, na Colômbia; após 'sacrifício', o lateral-direito deve ser poupado neste sábado, contra a Cabofriense, pela Taça Rio

Por Venê Casagrande

Rafinha e Bruno Henrique durante comemoração do título da Recopa
Rafinha e Bruno Henrique durante comemoração do título da Recopa -
O Flamengo dificilmente terá Bruno Henrique e Rodrigo Caio à disposição na estreia do time na Libertadores, diante do Junior Barranquilla, no dia 4 de março (quarta-feira), às 21h30, na Colômbia. O atacante e o zagueiro se recuperam de lesões no joelho direito e no adutor da coxa esquerda, respectivamente, e são dúvidas para a lista de relacionados que viajarão no próximo domingo.
Os dois jogadores estão fazendo tratamento intensivo para ficarem 100% o quanto antes, mas, neste momento, a ideia é não levar o atacante e o zagueiro para a Colômbia. Bruno Henrique e Rodrigo Caio compareceram ao Maracanã, na última quarta-feira, na final contra o Recopa e assistiram à partida contra o Del Valle em um dos camarotes. A reportagem chegou a abordar o camisa 27 antes de a bola rolar para saber como está evolução da lesão, mas evitou falar e fez apenas um sinal de positivo. (veja o vídeo abaixo)
 
Rodrigo Caio, segundo pessoas que assistiram ao jogo perto do zagueiro, não mancava e caminhava normalmente. A lesão muscular na coxa esquerda foi considerada "grave" nos bastidores do Flamengo. Mas por ser tratar de um jogador dedicado quando precisa tratar contusões e costuma retornar aos jogos antes dos prazos estabelecidos internamente.
Depois do 'sacrifício', o tratamento:
Depois de sofrer lesão "leve" na parte posterior da coxa esquerda, Rafinha era dúvida para a final da Recopa, na última quarta, mas o lateral-direito admitiu 'sacrifício' para poder ajudar o Flamengo na decisão, atuou durante os 90 minutos e ressaltou que agora precisará 'tratar e cuidar'.
"Tenho que me tratar e cuidar agora. Foi uma decisão difícil, mas fiz questão de participar porque era uma final. O Mister e o departamento médico me passaram confiança. Vim para jogar, sei das minhas responsabilidades, já tenho 34 anos e estou acostumado a decisões. Eu sabia que tinha que estar presente, jogar e que ajudaria muito, o que foi que aconteceu. Vim no sacrífico", disse o lateral na zona mista do Maracanã.
Com isso, Rafinha deve ser um dos poupados na estreia do Flamengo na Taça Rio, neste sábado, contra a Cabofriense, no Maracanã, às 18h.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários