Goiás e desfalques preocupam o Fluminense

Sem Edson, Sobis, Valencia e Diego Cavalieri e Klever, Cristóvão Borges comemora retorno de Cícero ao time

Por bernardo.argento

Rio - Sem poder contar com meio time, o técnico Cristóvão Borges quebra a cabeça para montar o Fluminense, que joga pelo empate diante do Goiás, amanhã, no Serra Dourada, pela Copa Sul-Americana. O Tricolor venceu a primeira partida, por 2 a 1, e valoriza a vantagem conquistada no Maracanã.

Mas nem só de más notícias vive o time das Laranjeiras: o meia Cícero retorna após ficar de fora contra o Corinthians, no domingo, pelo Campeonato Brasileiro. É a hora de o elenco mostrar força para avançar às oitavas.

Cristóvão Borges ficou satisfeito com a volta de Cícero ao timeDivulgação

Ao todo, cinco atletas lotam o departamento médico. Com gastroenterite, Diego Cavalieri tem chance de voltar contra o Cruzeiro, domingo. Edson, com dores na coxa esquerda, Valencia, joelho direito, e Rafael Sobis, coxa esquerda, são casos mais graves e não têm previsão de retorno. Klever, expulso no Maracanã, dará lugar a Felipe Garcia.

“Aqui não são só 11 titulares. Tem uns 30 em condições de jogar. Quando o professor Cristóvão chegou, disse que ia variar, que todos iam ter chance e é o que está acontecendo. O Fluminense tem um grupo qualificado e vai provar isso”, afirmou o meia Chiquinho, que ganhou a vaga na lateral-esquerda e não tem deixado a desejar.

“Tenho muito respeito pelo Carlinhos e até ouço seus conselhos. É experiente. Tento corrigir meus erros e melhorar sempre”, disse.

A vantagem do Fluminense é mínima, por ter vencido a partida de ida por 2 a 1, e o Tricolor sabe que terá de jogar pelo regulamento. “A vantagem é pequena, mas importante para nós. Temos que jogar com inteligência”, finalizou Chiquinho.

Sem laterais reservas e carente de zagueiros, com a lesão de Gum, o Fluminense busca boas opções no mercado para suprir suas necessidades, mas sem pressa. O lateral-direito Marcelinho, do América-RN, e Neto, zagueiro do Santos, estão na mira.

“As contratações estão em andamento. Quando digo que estão em andamento é porque estamos em período de negociação, sem dar prazo. Assim que elas se concretizarem, ou não, todos serão informados”, afirmou o vice Mário Bittencourt à Rádio Brasil.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia