Fluminense luta por uma vitória contra o Inter-RS e pela tranquilidade

Jogo tem contornos decisivos para tricolores, que tentam fechar o turno em posição confortável

Por O Dia

Júlio César já manifestou o desejo de ficar, mas ainda não há acordo
Júlio César já manifestou o desejo de ficar, mas ainda não há acordo -

Rio - No meio da tabela do Brasileiro, com 22 pontos, o Fluminense tem mais dois jogos antes do fim do turno e o duelo contra o Internacional, segunda-feira no Maracanã, ganha contornos decisivos para o futuro. Sem vencer há duas rodadas, o Tricolor precisa melhorar a sua pontuação para pelo menos igualar o desempenho dos últimos dois anos na metade do campeonato que já não foram tão bons, mas pelo menos garantiram gordura importante para o returno. Para isso, precisaria de pelo menos mais quatro pontos, em um jogo em casa e outro fora, contra o América-MG.

Apesar de ainda haver muito Brasileiro pela frente, o histórico recente mostra que o Fluminense perde força no segundo turno e chega a flertar com o rebaixamento ao pontuar menos do que no turno. Foi assim nos últimos três anos, quando o time sofreu com problemas financeiros e extracampo, assim como acontece em 2018.

Mesmo sendo uma competição diferente das anteriores, a experiência recente faz os torcedores ligarem o sinal de alerta. Afinal, o Fluminense de 2018 tem 22 pontos e precisa de mais quatro pontos para igualar a campanha no turno de 2017 (fez 26, contra 21 no returno) e seis pontos para repetir a de 2016 (fez 28, contra 22 no returno).

Alheio ao histórico, o elenco tricolor busca a recuperação no campeonato pensando numa vaga na Libertadores e não na parte de baixo da tabela, justamente contra um adversário do G-4. "Sabemos que vamos encontrar dificuldades, é um confronto direto na parte de cima da tabela. Fluminense é movido a vitórias, a gente tem que vencer todos os jogos. A cobrança é sempre muito grande. Se vencermos, ficaremos a cinco pontos deles", afirmou o goleiro Júlio César.

À ESPERA DE CONTATO

Com contrato até o fim do ano, Julio César ainda não foi procurado pela diretoria para tratar da renovação, mas se mostra tranquilo. "São situações que cabem ao presidente e a quem está tomando conta disso. Meu pai (que é o representante do goleiro) não passou nada ainda. Deixo com ele e não me preocupo pois isso é algo que pode influenciar no meu rendimento", disse.

Comentários