No embalo de Gum, Fluminense busca outra vitória no Brasileiro

Jogador entra diante do Cruzeiro, no Mineirão, no seleto grupo dos 10 atletas que mais atuaram pelo Tricolor

Por

Gum chegou ao Flu em agosto de 2009: hoje completará 397 partidas pelo clube
Gum chegou ao Flu em agosto de 2009: hoje completará 397 partidas pelo clube -

Minas Gerais - Com dois títulos brasileiros e um carioca, Gum já colocou o seu nome na história do Fluminense e neste sábado vai incrementá-la mais um pouco. Ao entrar em campo contra o Cruzeiro, às 21h, no Mineirão pelo Brasileiro, o zagueiro e capitão vai se tornar o 10º jogador que mais vestiu a camisa tricolor, ao lado de Marcão, com 397 partidas.

"Eu me emociono e lembro de vários momentos, tanto de conquistas quanto ruins. Saber que atingi uma marca dessas num clube centenário onde milhares de jogadores passaram é uma alegria enorme", comemorou Gum.

Remanescente do período vencedor do clube, Gum hoje é o líder de uma equipe em reconstrução. E tem nos seus altos e baixos em nove anos de clube como exemplo de superação. Saído da Série B, oriundo da Ponte Preta, lutou contra o rebaixamento para depois conquistar dois Brasileiros, com direito a melhor defesa tanto em 2010 quanto em 2012.

Gum também sofreu muito até se tornar capitão. Amargou a reserva, recebeu vaias e ainda teve lesões seguidas que quase encurtaram sua trajetória no Fluminense, assim como outras propostas ao longo dos anos, que foram negadas.

O zagueiro esteve muito perto de deixar o Fluminense em 2017. Fora dos planos, não se acertou com Trabzonspor, da Turquia, e ficou. Para completar, amargou 11 meses sem jogar por causa de duas cirurgias no pé direito. Gum voltou apenas em outubro de 2017 e conseguiu reconquistar os torcedores. Ainda assim, só continuou em 2018 porque aceitou reduzir seu salário.

"Sinto o carinho do torcedor no dia a dia, no estádio, no shopping ou no restaurante. É muito tempo no clube, dando valor a essa camisa que tantas pessoas amam", afirmou.

Até o fim do ano Gum deve se tornar o nono jogador (Waldo, tem 403 jogos) que mais vestiu a camisa tricolor, podendo até alcançar a oitava posição (o zagueiro Assis, com 412). Para tentar chegar ao sexto posto (de Rubens Galaxe, com 465), o zagueiro vai precisar renovar o contrato, que vai até dezembro, mas prefere esperar mais para conversar com a diretoria, que já o procurou, sobre 2019.

"Sou muito realizado na profissão, estou em paz e feliz. Fiz uma escolha de ser feliz, e ter prazer em vestir a camisa do Fluminense. Não fico preocupado com o que vai acontecer no fim do ano", completou.

SONDAGEM POR SORNOZA

Sornoza recebeu sondagem do Fenerbahce, segundo seus representantes. A janela europeia fecha na semana que vem e o Fluminense não sabe se receberá proposta. Enquanto isso, o Tricolor anunciou a renovação com Pablo Dyego por mais um ano.

 

Comentários