Jogo decisivo do 
Sul-Americano de 1919 entre Brasil e Uruguai, nas Laranjeiras
 - Acervo Flu-Memória
Jogo decisivo do Sul-Americano de 1919 entre Brasil e Uruguai, nas Laranjeiras Acervo Flu-Memória
Por HUGO PERRUSO
O estádio das Laranjeiras tem sua história diretamente ligada aos primórdios do futebol brasileiro. Inaugurada no dia 11 de maio de 1919 para sediar o Sul-Americano, a casa do Fluminense, que completa 100 anos neste sábado, também acolheu a seleção brasileira na primeira metade do século XX. E não só foi o palco dos primeiros passos, mas também das primeiras conquistas.
Antes da construção do estádio, o antigo campo da Rua Guanabara já tinha forte ligação com a Seleção ao receber o primeiro jogo da história, contra o Exeter City (2 a 0), em 1914. E, cinco anos depois, o Brasil comemoraria o seu primeiro título no mesmo local.
Publicidade
Escolhido para organizar o Sul-Americano, o país não tinha um estádio para receber os jogos, e o Fluminense se dispôs a construí-lo com recursos próprios. Pronta em 1919, a sede das Laranjeiras recebeu todos os jogos da competição, inclusive a inauguração, com Brasil x Chile.
A vitória brasileira por 6 a 0 sobre o Chile deu início a uma história de sucesso com o estádio. Ainda com o uniforme branco, a Seleção venceu a Argentina (3 a 1) e empatou com o Uruguai (2 a 2), conquistando o primeiro título da história num jogo extra contra os uruguaios, com vitória na prorrogação. O gol foi de Friedenreich, o mesmo a fazer o primeiro, na inauguração.
Publicidade
"A popularização do futebol foi nas Laranjeiras, muito pelo título em 1919. Se o Brasil não fosse campeão, talvez o futebol demorasse um pouco mais para pegar", ressaltou o gerente do Flu-Memória, Daniel Cohen.
LARANJEIRAS 100 ANOS - Seleção de 1919 antes da final do Sul-Americano ?? ? ?? ?? ? ? ?? ? 1900. Ugiti non pe nonsequ ibust, ipsam, tem in nihillentis sincipsam, sitatecabor acil et aut tium et illupic te conseque re nobis veodi isto quam que doleces trumquia qui reptatibus anditatem eaququ idestium et illupic te conseque re nobis vent dior n idestium et illupic te conseque re nobis vent dior nem explignistium et illupic te conseque re nobis ve - Acervo Flu-Memória
Publicidade
Laranjeiras tornou-se então a casa da Seleção pelos anos seguintes e voltou a ser palco do segundo Sul-Americano no país, em 1922, novamente vencido pelo Brasil. Foi naquele ano que o estádio teve seu recorde de público extra-oficial. Segundo relatos da época, foram 30 mil pessoas que assistiram aos duelos com Chile (1 a 1) e Uruguai (0 a 0).
Com a popularização da Seleção e a construção de estádios com capacidade maior, como São Januário, a casa tricolor ficou pequena. E a história do Brasil, que nunca perdeu em 18 jogos (13 vitórias e 5 empates), nas Laranjeiras, acabou em 27 de novembro de 1932, com goleada por 7 a 2 sobre o Andarahy (RJ).