Fernando Diniz - Mailson Santana/Fluminense FC
Fernando DinizMailson Santana/Fluminense FC
Por O Dia

O duelo de hoje, às 16h, na Arena da Baixada, pelo Brasileiro, marcará o reencontro do Fluminense com o Athletico-PR após o duelo pela semifinal da Copa Sul-Americana de 2018. Naquela época, o Furacão já colhia os frutos da troca de Fernando Diniz por Tiago Nunes. Agora no Tricolor, o técnico reencontra o clube que lhe deu a primeira chance na Série A podendo mostrar o que evoluiu desde então.

O reencontro de hoje só não vai ser completo porque Fernando Diniz, expulso contra o Bahia, não poderá ficar no banco e o auxiliar Márcio Araújo irá comandar a equipe. Mesmo assim, o treinador do Fluminense terá um gosto especial. Afinal, deixou o Athletico-PR muito criticado e viu seu sucessor Tiago Nunes conquistar a Sul-Americana e terminar no G-6.

Com aproveitamento de 34%, Diniz só conseguiu cinco vitórias em 21 jogos no Furacão, deixando a equipe na zona de rebaixamento do Brasileiro. A filosofia de jogo não funcionou e serviu de aprendizado  para o trabalho no Fluminense, principalmente na questão comportamental à beira do campo — está mais calmo agora — e também na maior criação de jogadas para finalizar. Naquela época, Diniz havia apostado no esquema 3-4-3, que foi abandonado.

Por outro lado, Nunes mudou o patamar do Athletico, trocando a posse de bola por jogadas em velocidade para finalizar. Também deixou de lado os três zagueiros e se preocupou com a defesa, que passou a ser mais segura. Além disso, deu espaço a jovens promissores, como Renan Lodi e Bruno Guimarães. De Diniz, manteve os zagueiros saindo jogando e a mentalidade de jogo coletivo.

Para hoje, Diniz irá poupar Ganso, Luciano e Gilberto de olho na Copa do Brasil, quarta-feira contra o Cruzeiro.

Você pode gostar
Comentários