Sócios definem hoje futuro do Fluminense em eleição para presidente

Mário Bittencourt e Ricardo Tenório são os candidatos a comandar o clube até 2022

Por O Dia

Mário Bittencourt e Ricardo Tenório são os candidatos a presidente do Fluminense
Mário Bittencourt e Ricardo Tenório são os candidatos a presidente do Fluminense -

Os sócios definirão neste sábado, das 9h às 18h, o futuro do Fluminense pelos próximos três anos e meio. Os candidatos a presidente são Mário Bittencourt, da chapa 'Tantas vezes campeão', e Ricardo Tenório, da 'Libertadores'. O vencedor, que assumirá já na segunda-feira, terá a árdua missão de recuperar um clube em situação financeira caótica e cheio de problemas após a conturbada gestão de Pedro Abad, que tem fim melancólico.

Estão aptos a votar 9.392 sócios, mas são esperados no máximo 3.500 hoje nas Laranjeiras. Serão utilizadas 14 urnas eletrônicas cedidas pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE/RJ). Como a eleição tricolor foi antecipada em seis meses a pedido de Abad, para estancar a crise política, os membros da chapa vencedora só assumirão seus lugares no Conselho Deliberativo em dezembro.

O futuro presidente precisará resolver situações urgentes. O Fluminense deve quase dois meses de salários atrasados — a atual diretoria quitou um mês antes do Fla-Flu —, além de quase cinco meses de direitos de imagem, 13º e férias de 2018. O clube também não possui Certidão Negativa de Débito (CND), necessária para buscar incentivos fiscais ou recursos públicos, além de sofrer inúmeras ações trabalhistas e penhoras, precisando entrar em acordo com credores para dar um respiro nas finanças tricolores.

No futebol, encontrará um clube na parte de baixo da tabela do Brasileiro, torcedores que não comparecem ao estádio e um Maracanã que só vem trazendo prejuízos na operação dos jogos. No marketing, precisará encontra um patrocinador master, o que não acontece há três anos, com exceção da parceria com a Valle Express, que só durou quatro meses por falta de pagamento.

Outra missão para o futuro presidente será buscar um novo fornecedor de material esportivo, já que a Under Armour não renovará o contrato que termina em julho de 2020.

Comentários