Yony, outra renovação de contrato problematica

Sem acordo inicial com o colombiano, diretoria tricolor pode repetir caso Everaldo

Por O Dia

Rio de Janeiro - 07/08/2019 - CT do Fluminense..Fluminense treina esta manhã no CT..FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.. ...IMPORTANTE: Imagem destinada a uso institucional e divulgação, seu .uso comercial está vetado incondicionalmente por seu autor e o .Fluminense Football Club.É obrigatório mencionar o nome do autor ou .usar a imagem....IMPORTANT: Image intended for institutional use and distribution. .Commercial use is prohibited unconditionally by its author and .Fluminense Football Club. It is mandatory to mention the name of the .author or use the image....IMPORTANTE: Imágen para uso solamente institucional y distribuición. .El uso comercial es prohibido por su autor y por el Fluminense .Football Club. És mandatório mencionar el nombre del autor ao usar .el imágen.
Rio de Janeiro - 07/08/2019 - CT do Fluminense..Fluminense treina esta manhã no CT..FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.. ...IMPORTANTE: Imagem destinada a uso institucional e divulgação, seu .uso comercial está vetado incondicionalmente por seu autor e o .Fluminense Football Club.É obrigatório mencionar o nome do autor ou .usar a imagem....IMPORTANT: Image intended for institutional use and distribution. .Commercial use is prohibited unconditionally by its author and .Fluminense Football Club. It is mandatory to mention the name of the .author or use the image....IMPORTANTE: Imágen para uso solamente institucional y distribuición. .El uso comercial es prohibido por su autor y por el Fluminense .Football Club. És mandatório mencionar el nombre del autor ao usar .el imágen. -

Fragilizado no mercado, o Fluminense volta a sofrer para segurar seus destaques e corre sério risco de repetir com Yony González o que aconteceu com Everaldo. Com vínculo até o fim do ano, o colombiano, artilheiro do time com 15 gols, já pode assinar um pré-contrato e interessa a outros clubes brasileiros. Ele não aceitou a proposta inicial do Tricolor e pede um valor muito alto de luvas para renovar (cerca de R$ 4 milhões), algo que o clube não tem condições de pagar. As negociações estão travadas desde então e as chances de permanência em 2020 não são grandes.

Os casos de Everaldo e Yony são parecidos até certo ponto. Oportunidades de mercado, ambos vieram sem grande custo. O brasileiro foi emprestado pelo Velo Clube-SP no meio da temporada de 2018, enquanto o colombiano não tinha contrato com ninguém, mas o ex-presidente Pedro Abad optou por assinar somente por 2019, até o fim de seu mandato. Nos dois casos, o Fluminense sofreu com a renovação e os constantes atrasos salariais têm um grande peso, assim como o poder financeiro tricolor.

Como Everaldo no início do ano, Yony está insatisfeito com as dívidas e mostra preocupação com o futuro. Além disso, o Fluminense não tem como oferecer um aumento expressivo. Por exemplo, a proposta do Corinthians foi de R$ 40 mil a mais para Everaldo, que aceitou a oferta mesmo sem a garantia de ser titular em São Paulo.

Caio Henrique quer ficar

Se Palmeiras ou Atlético-MG, dois clubes que mostraram interesse em Yony e estão em situação financeira melhor, fizerem propostas mais interessantes, o Tricolor fica atrás na disputa e terá de buscar convencê-lo de outra maneira. Ainda assim, a diretoria mantém esperança na permanência de seu destaque e pretende fazer uma nova proposta ao atacante, com contrato mais longo. Novas conversas devem acontecer nos próximos dias.

Há outros jogadores em situação parecida, com contrato até dezembro. Um dos destaques do time, Caio Henrique está emprestado pelo Atlético de Madrid e já demonstrou interesse em permanecer no clube em 2020, mesmo estando bem valorizado. Para isso, terá de convencer os espanhóis a liberá-lo novamente. Allan, emprestado pelo Liverpool, é outro com futuro incerto, apesar de também ter demonstrado vontade em continuar na próxima temporada.

"Envolve toda uma negociação, não depende só de mim. Mas pela minha parte facilitaria bastante. O torcedor pode ter esperança. É mais para o sim do que para o não", disse Caio Henrique ao site Globoesporte.com.

Comentários