Vitória para dar um respiro

Sem Pedro, vendido para a Fiorentina, Fluminense pega o Avaí no Maracanã

Por O Dia

O atacante Pedro viajou ontem para a Itália, onde passará por exames médicos antes de finalmente assinar com a Fiorentina. A transferência do jogador, vendido por 15 milhões de euros (R$ 68,5 milhões), foi sacramentada na noite de sábado. Passada a ressaca com a eliminação na Copa Sul-Americana diante do Corinthians, e sem Pedro, o Fluminense não tem muito tempo para lamentar. Na zona de rebaixamento e com apenas três vitórias no Campeonato Brasileiro, o Tricolor pega o lanterna Avaí no Maracanã, hoje, às 20h, para respirar um pouco mais aliviado.

"Para a sequência, (a eliminação) não pesa. Ficamos tristes, mas temos uma sequência que não é fácil. Precisamos tirar o Fluminense dessa situação no Brasileiro, é o que nos resta", disse o volante Allan.

A missão teoricamente não seria difícil, afinal, o adversário ainda não venceu em 16 rodadas. Entretanto, o torcedor tricolor fica ressabiado após o time perder no Maracanã por 1 a 0 para o CSA, que até então não havia marcado nenhum gol como visitante no campeonato nem vencido fora de casa. O resultado ocasionou a demissão do técnico Fernando Diniz. Por isso, todo cuidado contra o lanterna do Brasileiro, ainda mais pelo histórico preocupante.

ALERTA LIGADO

Em 2019, o Fluminense enfrentou seis adversários que teoricamente brigam contra o rebaixamento neste momento, e o aproveitamento não é bom, de 27,7%. Foram apenas cinco pontos conquistados (vitória sobre Cruzeiro, dois empates com Ceará e Chapecoense, e três derrotas para Vasco, Goiás e CSA), ajudando o clube a ficar na zona de rebaixamento.

Agora sob o comando de Oswaldo de Oliveira, o Fluminense precisará mudar esse panorama se quiser não se complicar mais no Campeonato Brasileiro.  Afinal, além do Avaí, no Maracanã, vai encarar o Fortaleza fora de casa na sequência. Dois resultados positivos podem tirar o time da zona da rebaixamento. O Fluminense tem um jogo a menos — a partida contra o Palmeiras, pela 16ª rodada, foi adiada para o dia 10.

"Tem que trabalhar porque sabemos que precisamos  sair dessa situação no Brasileiro, e é confronto direto. Tem que vencer e fazer a nossa pontuação", disse Ganso.

Comentários