Nenê fez mais gols do que atacantes do Fluminense juntos

Sem Evanilson, homens de frente que seguem no clube marcaram apenas 12 gols na temporada. Meia tem 17

Por HUGO PERRUSO

Nené fez oito gols de pênalti nesta temporada. Ele tem 100% de aproveitamento
Nené fez oito gols de pênalti nesta temporada. Ele tem 100% de aproveitamento -
Artilheiro do Brasil com 17 gols em 30 jogos, Nenê igualou a marca de Yony González em todo 2019. A fase goleadora do meia de 39 anos torna-se um alento em um Fluminense que sofre com os seus atacantes em 2020. Evanilson era o único que vinha dando conta do recado, mas foi para o Porto e o Tricolor ficou sem um homem de frente que viva bom momento com as redes.
Dependente de Nenê, o Fluminense de Odair Hellmann marcou 51 gols em 34 jogos nesta temporada. Desse total, os atacantes tricolores, incluindo Evanilson, foram responsáveis por menos da metade: apenas 21 (41,1%).Como comparação, em 2019, foram 61 gols de 91 do Fluminense(67%).
O pior é que sem Evanilson, que marcou nove vezes, o desempenho despenca a ponto de Nenê ter mais gols do que todos os outros somados. Se o meia marcou 17,os atacantes que seguem no elenco fizeram juntos apenas 12. Marcos Paulo é quem mais fez: cinco.
O camisa 11 não vive boa fase, seja jogando pela esquerda ou mais centralizado no lugar do ex-companheiro. A última vez em que marcou foi no dia 8 de março, na goleada por 4 a 0 sobre o Resende pelo Campeonato Carioca.
"Marcos Paulo é um jovem. Eu acho que ele tem capacidade para desempenhar essas funções tanto por dentro como pelo lado. Claro que tem muito a progredir, mas o que ele tem feito é nos ajudar. Tem encontrado algumas dificuldades, mas isso é questão de adaptação. A gente está aqui para passar confiança", disse Odair.
Mas a pouca eficiência ofensiva não é exclusividade de Marcos Paulo. Wellington Silva, que marcou pela terceira vez no ano contra o São Paulo, também não balançava redes desde março, contra o mesmo Resende. Já Fred fez apenas um gol e convive com problemas físicos desde que chegou, sem conseguir jogar direito. Fora dos planos, Felippe Cardoso, que marcou só uma vez, voltou a ter chances sem convencer.
Mal desde o retorno após a paralisação do futebol, Fernando Pacheco fez seu único gol em março. Já Gabriel Capixaba, outro atacante a marcar na temporada, está no sub-23 sem chances no profissional. Luiz Henrique, Caio Paulista, Pablo Dyego e Matheus Alessandro seguem em branco.
Enquanto os atacantes deixam a desejar, Nenê tem garantido os gols e, consequentemente, as vitórias. "Poder ajudar o time nesse quesito é alegria grande. Estávamos sem vencer há três jogos e era importante essa recuperação para dar confiança para a Copa do Brasil", comemorou.
Desempenho dos atacantes do Fluminense:
Evanilson: 9 gols em 24 jogos
Marcos Paulo: 5 gols em 29 jogos
Wellingston Silva: 3 gols em 20 jogos
Fred: 1 gol em 9 jogos
Felippe Cardoso: 1 gol em 8 jogos
Fernando Pacheco: 1 gol em 19 jogos
Gabriel Capixaba: 1 gol em 2 jogos
Luiz Henrique: 0 gol em 8 jogos
Caio Paulista: 0 gol em 15 jogos
Pablo Dyego: 0 gol em 2 jogos
Matheus Alessandro: 0 gol em 7 jogos

Comentários