Ailton comandou o Fluminense - MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC
Ailton comandou o FluminenseMAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC
Por O Dia
Rio - Após três jogos, o Fluminense venceu a sua primeira partida depois da saída de Odair Hellmann. Curiosamente, sem Marcão no comando da equipe. Contaminado pela Covid-19, o técnico foi substituído pelo auxiliar Ailton. Ex-jogador do Tricolor e com uma história marcante no clássico (ele começou a jogada e finalizou para o histórico gol de barriga de Renato Gaúcho no Carioca de 1995), Ailton admitiu que a vitória sobre o Flamengo teve um significado especial.
Publicidade
"Sem dúvida, ainda mais em cima de um rival. Temos uma meta, e nossa meta é a Libertadores. Às vezes sem meta nenhuma você não sai do lugar. Estamos trabalhando forte para conseguir essa Libertadores. Hoje foi um caminho, começou no jogo de hoje. O Marcos Seixas (preparador físico) foi muito feliz quando ele falou antes do jogo que de repente a gente ia começar o caminho das vitórias hoje, e nós conseguimos. Time soube sofrer, batalhou até o fim, foi um time que guerreou o tempo todo, sangue nos olhos, e fomos premiados com o gol do Yago no final. Isso é mérito do grupo. Muito importante todos estarem focados para conseguirmos a vitória", afirmou.
A vitória do Fluminense foi construída na segunda etapa. Após um primeiro tempo de domínio rubro-negro, o Tricolor teve uma outra postura após o intervalo e conseguiu reverter o resultado favorável para o rival.
Publicidade
"Sem dúvida que foram dois tempos distintos. Primeiro tempo a gente foi com uma proposta que conseguimos no segundo, que era jogar na linha média e procurar as infiltrações tanto do Michel quanto do Wellington Silva. E a gente no primeiro tempo não conseguiu. O Flamengo teve mérito, conseguiu colocar uma linha alta, pressionar o tempo todo, e nós ficamos muito acuados. No intervalo eu conversei com eles, falei de forçar essa situação das infiltrações e que a gente precisava jogar", opinou.
Com experiência em clássicos, Ailton que também defendeu o Flamengo e o Botafogo, no Rio de Janeiro, afirmou que pode passar para os jogadores orientações de como agir em jogos desta importância.
Publicidade
"Dentro da proposta de transição, a gente abriu mão de jogar, e com isso o Flamengo foi bem no primeiro tempo. Fizemos um segundo tempo equilibrado onde conseguimos os gols. Eu tinha falado na palestra que futebol se decide nos detalhes. Se a gente se preocupasse com esses detalhes, iria conseguir sair feliz. Graças a Deus conseguimos porque os detalhes são esses, as falhas. Se você erra muito em um clássico como esse, você está muito perto de perder", concluiu.