Bem marcado, Fred passou em branco mais uma vez, mas foi poupado das vaias pela torcidaLucas Merçon/Fluminense

Rio - Não foi diante do Atlético-GO que o torcedor do Fluminense conseguiu presenciar a primeira vitória após a liberação de público nos estádios no Campeonato Brasileiro. O empate em 0 a 0, neste sábado, no Maracanã, teve a sensação de um balde de água na esperada reação. Em nono, com 33 pontos, o Tricolor foi punido pela falta de criatividade e de capricho na finalização em duas reais chances nos acréscimos. O Dragão, com 31, aparece em décimo na tabela. 
O pedido de trégua do capitão Fred à torcida pelas vaias recebidas pelo Fluminense na derrota por 2 a 0 para o Fortaleza, quarta-feira, no Rio, não foi totalmente atendido no reencontro deste sábado. Afinal, a atuação ao longo do primeiro tempo foi ruim e jogadores como Danilo Barcelos e Nonato não conseguiram evitar as vaias. A esperada reação não aconteceu. Com dificuldade na criação, o Tricolor pouco ameaçou.
Bem fechado, o Atlético-GO seguiu a receita do Fortaleza na tentativa de surpreender. E com paciência, criou as chances mais perigosas na primeira metade do jogo. Marcos Felipe, com duas defesas na finalização de Éder e Cariús, evitou o pior.
Marcão entendeu o recado da arquibancada e assumiu a iniciativa de busca o resultado com as substituições. Primeiro com a entrada do meia-atacante Jhon Arias no lugar do apagado Nonato. O colombiano deu mais velocidade à transição e diminuiu o buraco que havia entre os atacantes. E após uma boa troca de passes, Luiz Henrique deixou Fred cara a cara com Fernando Miguel, mas faltou capricho no chute cruzado para fora.
Sob um misto de vaias e aplausos, Caio Paulista deixou o jogo para a entrada de John Kennedy, herói na conquista do Carioca Sub-20 na final contra o Flamengo. Na primeira grande jogada, arrancou da intermediária e finalizou com perigo sobre o travessão de Fernando Miguel. Mais exposto, o Tricolor foi salvo pelo VAR no gol de Marcos Paulo, em posição de impedimento. Mesmo ciente do risco do contra-ataque, Marcão apostou em mais dois atacantes: Lucca e Bobadilla no lugar de Luiz Henrique e Fred.
Na base da pressão, o Tricolor chegou, mas pecou na finalização. Nos acréscimos, Martinelli acertou a trave e na última jogada Lucca perdeu outro gol feito.
FLUMINENSE X ATLÉTICO-GO
Local: Maracanã
Árbitro: Edina Alves Batista (SP)
Gols: - 2º tempo - 
Cartões amarelos: John Kennedy, Luccas Claro; Ronald, Éder
Cartões vermelhos: -
Renda e público: R$ 78.132,00 para 2.287 pagantes.

Fluminense: Marcos Felipe, Samuel Xavier, Nino, Luccas Claro e Danilo Barcelos; André (Martinelli), Yago Felipe e Nonato (Arias); Caio Paulista (John Kennedy), Luiz Henrique (Lucca) e Fred (Bobadilla). Técnico: Marcão.

Atlético-GO: Fernando Miguel, Dudu(Arnaldo), Wanderson, Éder e Igor Cariús; Willian Maranhão, Matheus Barbosa (Baralhas) e João Paulo; André Luís (Natanael), Zé Roberto (Montenegro) e Ronald (Janderson). Técnico: Eduardo Souza.