Alexandre Campello mostra documentos para comprovar transparência em venda de Paulinho

Dirigente do Vasco acusa Edmilson Valentim, presidente do Conselho Fiscal, de querer desestabilizar gestão

Por O Dia

Alexandre Campello não teme investigação na venda de Paulinho
Alexandre Campello não teme investigação na venda de Paulinho -

Rio - O presidente do Vasco, Alexandre Campello, concedeu uma coletiva acompanhado por dois dirigentes, se defendendo das suspeitas do presidente do Conselho Fiscal, Edmilson Valentim, e disse estar tranquilo com uma possível investigação sobre a venda do atacante Paulinho.

"O Vasco fez um acordo com juros abaixo do mercado com o empresário Carlos Leite e firmou o compromisso que o primeiro dinheiro que entrasse seria para pagá-lo. A primeira garantia foram as cotas da FERJ de 2020, quando surgiu a possibilidade da venda do Paulinho. Sem a venda não seria possível manter as atividades no clube e ficou acordado com Carlos Leite que ele teria prioridade na negociação do jogador", disse Campello.

Os valores nos documentos mostrados por Campello mostram 38 milhões de reais da venda de Paulinho foram para pagar o próprio jogador e o empresário Carlos Leite, 22 milhões foram para uma conta do clube no banco Bradesco e outros 15 milhões foram para uma outra conta do Vasco na Caixa.

"Talvez o Presidente do Conselho Fiscal tenha dificuldade de entender os documentos. Qualquer um com conhecimento médio saberia interpretar que o dinheiro foi transferido de uma conta para outra", disparou o presidente do Vasco. 

Comentários